Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


A picaresca tomada de posse

por contrário, em 30.10.15

Cavaco Silva e seu governo minoritário tomaram posse ao início da tarde de hoje. No seu discurso de... tomada de posse como primeiro-ministro, Cavaco Silva aproveitou os holofotes mediáticos para, uma vez mais, regurgitar as habituais idiotices. É impressionante a capacidade que este indivíduo tem para divertir a corte, mesmo nos momentos mais difíceis.

 

Afirmações como: “a solidariedade das instituições que nos emprestaram 78 mil milhões de euros”; Realmente, só mesmo Cavaco para considerar aquele empréstimo como um acto solidário. Só faltou relembrar que “os portugueses andaram a viver acima das possibilidades”, que “são piegas”, etc.

 

Cavaco também disse que “Portugal é hoje um país mais credível”, mas que continua a ser “lixo” para os seus ídolos das agências de rating. Disse ainda que “sem estabilidade política Portugal tornar-se-á ingovernável e ninguém confia nele” e que a “estabilidade não está na maioria parlamentar, mas sim nos sólidos 40% da coligação”.

 

Mas só conseguiu atingir os píncaros da hilaridade quando recuou até 2009, para recordar uma frase sua em que dizia “não ser necessário uma maioria no parlamento para governar”, como se com isso tivesse dado posse a um governo minoritário do PS, sem que tivesse um plano pré-montado para cozinhar Sócrates em lume brando. E como se o governo minoritário do PS tivesse uma maioria contra no Parlamento. Cavaco recuou até 2009, passando como um foguete pelas declarações que fez há não muitas semanas, no decorrer da campanha eleitoral, quando dizia que “era muito importante haver uma maioria parlamentar para que pudesse haver um governo estável”.

 

Cavaco é assim… como dizer… um pantomineiro. E foi assim a tomada de posse de Cavaco e sua lacaiada. Uma bela sessão circense. Uma barrigada de risos. Só não percebo por que razão só a Cristas se vestiu a rigor.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Correio da Manhã oficialmente de férias

por contrário, em 29.10.15

Uma providência cautelar interposta pela defesa de José Sócrates foi deferida na passada Terça-feira, pelo Tribunal da Comarca de Lisboa. Esta decisão do TCL impede o Correio da Manhã de difundir notícias relacionadas com a "Operação Marquês".

 

Portanto, o Correio da Manhã entra oficialmente de férias e por tempo indeterminado. Todos sabemos que o Correio da Manhã só fala sobre o "caso" Sócrates. Como deixaram de ter assunto para escrever e não só, já que a proibição estende-se também à CMTV, não há Sócrates, não há assunto, logo não há notícias. O Correio da Manhã já demonstrou o seu descontentamento, dizendo que se sente "amordaçado" e que isto é uma tentativa de Sócrates "calar" o Correio da Manhã.

 

O Correio da Manhã acaba de nos fornecer mais uma pérola informativa, isto é, José Sócrates é quem preside, ou pelo menos, quem controla o Tribunal de Instância Central do Tribunal da Comarca de Lisboa. É mais uma preciosidade jornalística do referido órgão de comunicação social.

 

Resumindo, se é cliente habitual da caca jornalística do Correio da Manhã terá, a partir de agora, a oportunidade de adquirir o jornal completamente "em branco" e escrever você mesmo os seus próprios contos de fadas. Ou então pode aproveitar o monte de folhas para fins higiénicos. Quanto ao canal CMTV, parece que vai passar a emitir um documentário de 1760 horas com o título: "A muitíssimo estranha forma como Sócrates conseguiu preencher duas cadernetas de cromos Vitória, na década de 80". Imperdível.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Mensagem de esperança aos novos governantes

por contrário, em 28.10.15

Passos e Portas conseguiram constituir um governo, que será empossado na próxima sexta-feira ao meio-dia (depois da missa das 11h), é que entretanto, o Cavaco decidiu ir espairecer as ideias até Roma. Não me espanta nada que venha de lá com ideias imperialistas, afinal, o que conta é a tradição.

 

Mas falemos um pouco deste novo governo. Ele é secretários de estado "promovidos" a ministros, ele é dirigentes das máquinas partidárias "promovidos" a ministros, ele é criar novos ministérios como a da Cultura, numa tentativa de demonstrar uma fingida aproximação ao PS. Até o Mimoso Negrão tem direito a pasta, a ver se pára de choramingar por não ter sido eleito Presidente da Assembleia da República. Enfim, há encenações para todos os gostos. Afinal, todos (excepto o José Gomes Ferreira) sabem que este governo não durará mais tempo do que um peixe fora da água.

 

Também todos perceberam que, pelos nomes que compõem este governo, não foi possível arranjar pior. Então a estratégia de Passos e Portas foi virarem-se para dentro dos seus partidos, lançar os "convites" com a indicação "RSVP: quem disser que não f...-se", e todos disseram que sim, obviamente.

 

Mas atenção. Eu tenho uma mensagem de esperança para aqueles que vão tomar posse na sexta-feira. Eu compreendo que estejam desanimados por terem sido "convidados" só porque mais ninguém aceita e porque é para tombar na primeira curva, mas isso não é motivo para desânimos, muito pelo contrário. O cenário de um governo relâmpago PSD/CDS não é novo, ou já se esqueceram do governo de Santana/Portas? Animem-se! Um governo de incompetentes e de curta duração não significa o fim da linha. Reparem só:

 

- António Mexia, depois de uma curta passagem pelo ministério das obras públicas, transportes e comunicações chegou logo de seguida à presidência do conselho de administração da EDP;

- José Luís Arnaut fez parte do mesmo governo relâmpago e chegou, mais tarde, ao "international advisory board" do Goldman Sachs, onde apoiou a decisão de financiar o BES em centenas de milhões de euros, pouco tempo antes deste sucumbir;

- O próprio Santana Lopes, que liderou esse governo relâmpago, hoje é Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa. Desenganem-se os que acham que é pouca coisa;

- António Monteiro, depois da curta governação andou a passear pela ONU e, um pouco mais tarde chegou ao topo do BCP;

- Daniel Sanches (este é o meu preferido), foi ministro da administração interna nesse governo fugaz, também era amigo de Dias Loureiro (o que explica muito). Três dias depois das eleições, adjudicou 500 milhões de euros a um consórcio liderado pela SLN, uma holding onde o próprio havia trabalhado antes de ser ministro. Em 2010 aposentou-se com uma reforma de mais de 7 mil euros mensais só por ter passado pelo BPN;

- Graça Carvalho chegou a deputada no Parlamento Europeu;

- Nobre Guedes também foi um dos que passeou nesse governo, foi pouco tempo, mas ainda deu para despachar a aprovação do empreendimento turístico da Portucale (submarinos, contrapartidas, dinheiro na conta do CDS, lembram-se?);

- Carlos Costa Neves foi outro que esteve ligado ao mesmo caso "Portucale" e, portanto, sabe muito bem que vale bem a pena integrar novamente um governo "vai ser bom, não foi?";

- Ah! Falta o Telmo Correia, que enquanto ministro do turismo também esteve relacionado com a mesma tramóia;

- Etc. A lista de bons exemplos poderia continuar...

 

Portanto, animem-se malta, as oportunidades serão muitas. Quanto mais não seja, uma semanita no governo dará sempre tempo para fazer pelo menos umas 100 nomeações.

Autoria e outros dados (tags, etc)

A coligação PàF está novamente disponível para encenações com o Partido Socialista. Há cerca de uma semana, Passos e Portas diziam que não estavam disponíveis para mais encenações com o PS, sustentando que as reuniões entre estas forças partidárias não passavam disso mesmo, pelo que não mais estariam disponíveis para dialogar com o PS, sabendo de antemão que Cavaco indigitaria Passos de seguida.

 

Agora que já perceberam que o governo de Direita não durará o tempo suficiente para fazer mais 100 nomeações, voltam a demonstrar disponibilidade para encenações com o PS. Paulo Portas até está disposto a deixar a cadeira n.º 2 para António Costa, lugar que tanto lhe custou a conquistar.

 

O desespero desta gente é tanto que, até Marco António Costa (o destilador de ódios ao PS) parece um gatinho de nome Putchy, quando fala do Partido Socialista.

Autoria e outros dados (tags, etc)

O governo PSD/CDS enchia a boca para dizer que era altura de acabar com os "jobs for the boys", como se houvesse outro partido que tivesse criado mais "jobs" para os seus "boys" que estes dois.

 

Reparem na classe desta gente. Vejam e aprendam como se faz. Cerca de 100 valentes tachos inventados à pressão, para satisfazer a clientela das máquinas partidárias. Tratam-se de cargos de direcção intermédia, porque a lei não lhes permitiu fazer nomeações para cargos de topo. Mas o que é que isso importa? Da maneira que as coisas estão, qualquer tacho satisfaz os maltrapilhos. Já não estamos em tempos de exigir o bife do lombo.

 

Estas são as rendosas conezias de que Eça nos falava. 100 tachos criados na última semana antes das eleições, cuja publicação em Diário da República só aconteceu após as eleições, claro. Tudo muito bem pensado. Aprendam como se faz!

 

O que vale é que o bando que vai ocupar os tachos é tudo malta bem preparada. Tudo pessoal da gandaia comicial, da farra das campanhas, da dedicação extrema e brilhante desempenho nas universidades de Verão... Em abono destes ganapos está também a sua vasta experiência em colar cartazes, abanar bandeiras e bater palmas aos patronos.

 

A malta portou-se bem. A malta merece.

Autoria e outros dados (tags, etc)

É claro que me estou a referir à devolução da sobretaxa de IRS, que a coligação PàF anunciou que iria fazer no final deste ano. Durante a campanha eleitoral, a coligação PàF usou como um dos seus grandes trunfos para convencer os eleitores incautos, uma hipotética devolução do valor da sobretaxa (aquela coisa que os próprios diziam ser temporário e que já deveria ter sido eliminada há muito tempo). Passos, Portas e a senhora ministra das finanças fartaram-se de afirmar que estava garantida uma devolução de 35% da sobretaxa de IRS no final deste ano, e que a devolução poderia ser ainda maior.

 

Há poucos dias, ainda durante o decorrer das negociações com o Partido Socialista, a ministra das finanças dizia que "não havia nenhuma manipulação nas contas do Estado" e que a "gestão deste governo e as contas públicas são constantemente escrutinadas, pelo que seria impossível omitir ou manipular qualquer valor".

 

A verdade é que as contas foram manipuladas e bem! As receitas de IRS foram artificialmente aumentadas e, como tal, o dinheiro que este governo anunciou como receita fiscal arrecadada não passava de uma grande mentira. Agora, fica-se a saber que a putativa devolução da sobretaxa não deverá chegar aos 10%, isto para quem ainda acreditar que vai haver devolução com este governo presidencialista.

 

É este o governo, agora minoritário, que oferece melhores garantias de governabilidade? Ainda não tomaram posse e PàF... mais uma trapaça! E das gordas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Cavaco corajoso? Explica lá, ó Portas...

por contrário, em 23.10.15

O garnisé Paulo Portas (não fui eu que o apelidei assim, foi o PSD), bem como o cuco-político Nuno Melo (o cheira-peidos de estimação de Paulo Portas) disseram que Cavaco Silva tinha sido muito "corajoso" ao indigitar Passos Coelho como primeiro-ministro. Ambos disseram também que Cavaco fez o que é normal e tradição em Portugal, ou seja, indigitar quem venceu as eleições. Ambos afirmaram que Cavaco fez o que era expectável.

 

Ora, se é tradição, se é normal, se é expectável, por que razão Cavaco foi corajoso? Ele há cada estúpido...

Autoria e outros dados (tags, etc)

O país esperou 18 dias para isto?

por contrário, em 23.10.15

A resposta ao texto que escrevi anteriormente "Cavaco está à espera de quê?" apareceu ontem, dada pelo próprio. Cavaco não estava à espera de nada, apenas que o tempo passasse. Na verdade, o que ele gostaria era de manter o país neste impasse até ao final do seu mandato que está prestes a terminar, graças a Deus!

 

Decidiu indigitar Passos Coelho. Por que não o fez logo? O país estava farto de saber que a coligação minoritária nunca conseguiria o apoio da maioria parlamentar de Esquerda, nem vai conseguir, por que raio Cavaco esperou 18 dias para anunciar uma decisão que já estava tomada?

 

Nem vou perder tempo em tentar dissecar aquele discurso vomitório, repleto de parcialidade. Passos Coelho não teria feito melhor discurso em defesa de si próprio e do seu partido. Cavaco é assim. Um presidente de 20% que quer impor um governo de 20%. Cavaco preferia morrer engasgado com uma casca de laranja cristalizada do que ter de dar posse a um governo de Esquerda, onde cabe PCP e BE. Ele jamais será capaz disso, apesar de ser mais do que certo que esse é o cenário que lhe vai cair em cima dentro de alguns dias.

 

Veremos que justificações dará Cavaco ao país, aquando desse momento. Recordemos que Cavaco alertou que não daria posse a um governo que não apresentasse uma maioria de apoio estável na Assembleia da República. Mudou de ideias. A ver vamos como vai reagir quando essa maioria estável se apresentar "formalmente", mesmo nas suas ventas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Cavaco está à espera de quê?

por contrário, em 19.10.15

Cavaco disse, ainda durante o período de campanha eleitoral (altura em que deveria estar calado), que sabia “exactamente o que faria no dia a seguir às eleições”. Já passaram duas semanas e o que fez Cavaco em relação ao assunto? NADA.

 

O que na altura todos perceberam foi o que Cavaco não faria no dia seguinte às eleições, ou seja, que não marcaria presença nas comemorações da República.

 

Um PR diligente teria ido às comemorações na manhã do dia 5 de Outubro e, durante a tarde, teria recebido todos os partidos em Belém. Por esta altura, já deveríamos ter a Assembleia da República em plenas funções e um governo empossado. Mas Cavaco insiste em não ter um pingo de dignidade, nem mesmo na hora da partida.

 

À revelia do que vem disposto na Constituição da República Portuguesa, Cavaco apressou-se a receber Passos Coelho, incumbindo-o de estabelecer as diligências necessárias com vista à formação do novo governo, como se já tivesse decidido que Passos Coelho seria o primeiro-ministro. Ora, se já havia decidido isso, por que razão ainda não o indigitou como tal? Está à espera de quê?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sócrates a Presidente?

por contrário, em 18.10.15

Com o aproximar das eleições presidenciais e antevendo-se que José Sócrates estaria prestes a ser libertado, muitos foram aqueles que se puseram a vaticinar que Sócrates poderia ainda tornar-se num candidato presidencial.

 

Após a notícia da sua libertação, vários comentadores profissionais abordaram essa possibilidade como sendo algo sem cabimento. Mas, a verdade é que não deixaram de falar no assunto. Porquê? Porque são muitos os que gostariam de ver José Sócrates candidatar-se a Presidente da República (também não será menos verdade que outros tantos não gostariam nada que isso acontecesse).

 

Para mim, Sócrates seria um bom candidato. Não vejo nenhum melhor que ele na corrida, e já são muitos. Há por aí muita gente que já dá como garantida a eleição de Marcelo Rebelo de Sousa na primeira volta. Não fossem as habituais subservientes campanhas de apoio aos candidatos da Direita, levadas a cabo pela esmagadora maioria da comunicação social, juntando-se-lhe uma perversa e negra campanha contra a pessoa de José Sócrates, levada a cabo por uma certa facção judicial conluiada com uma certa cor política que comanda a mesma esmagadora maioria da comunicação social, e José Sócrates daria uma abada a qualquer candidato que a Direita apresentasse. Eu diria mesmo que, a Direita poderia concorrer com Marcelo e Rio e, no final, ainda juntar os votos que o Cavaco teve nas últimas eleições, ainda assim José Sócrates venceria largo. E seria tão interessante ver Sócrates na presidência, sobretudo depois de Cavaco nomear Passos Coelho como primeiro-ministro de um governo minoritário.

 

Bem, o que não faltam são candidatos e verdade seja dita, a partir de Cavaco Silva, qualquer português tem condições para ocupar o cargo de Presidente da República. É o único mérito que reconheço à já longa e pérfida carreira política de Cavaco, isto é, o facto de ter tornado presidenciável qualquer português, qualquer um será sempre melhor que ele, até mesmo Paulo Portas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor




Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D