Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


A Portuguesa

por contrário, em 21.06.17

Acabei de assistir à entrada das equipas de Portugal e da Rússia, para o jogo da segunda jornada do Grupo A, da Taça das Confederações e, consequentemente aos cânticos dos hinos nacionais, com especial emoção para "A Portuguesa".

 

Contudo, não pude deixar de notar que os elementos da selecção nacional (jogadores e equipa técnica) continuam a cantar, irritante e erroneamente, o oitavo verso. Isto acontece sempre! Os jogadores e equipa técnica (e creio que a maioria das pessoas) canta “Que hão-de guiar-te à vitória!” em vez de “Que há-de guiar-te à vitória!”.

 

Por favor, corrijam isso e cantem como deve ser. Podem até desafinar, mas não se confundam. É a “voz” dos “egrégios avós” que nos vai guiar até à vitória. Portanto, é “há-de” e não “hão-de”. Simples.

 

A Portuguesa

Heróis do mar, nobre povo,
Nação valente, imortal,
Levantai hoje de novo
O esplendor de Portugal!
Entre as brumas da memória,
Ó Pátria, sente-se a voz
Dos teus egrégios avós,
Que há-de guiar-te à vitória!

Às armas, às armas!
Sobre a terra, sobre o mar,
Às armas, às armas!
Pela Pátria lutar
Contra os canhões marchar, marchar!

Composição
Alfredo Keil, Henrique Lopes de Mendonça

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor




Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D