Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Calma! Trump não é o diabo...

por contrário, em 10.11.16

Depois de conhecidos os resultados das eleições nos EUA, em que o vencedor foi Donald Trump, aquele país e o resto do mundo entrou numa onda de choque e pesar. A realidade é que Trump venceu e será o próximo Presidente dos EUA. A maioria das pessoas deu por certo que Trump vai pôr em prática tudo aquilo que andou a dizer durante os longos meses de campanha, que nos EUA são um verdadeiro reality show. E todos deveriam saber que ele é bom nesse papel.

 

Mas se nos reality shows qualquer um pode fingir ser quem quiser, na vida real não é bem assim. Sobretudo quando nos referimos ao papel que tem de desempenhar o Presidente dos EUA – o cargo mais importante do mundo, dizem.

 

A cadeira da presidência nos EUA deve ser o lugar mais castrador do mundo. Por muito boas ou más ideias que tenha um candidato eleito, assim que se sentar naquela cadeira vai perceber que a história não é como se pinta.

 

Tenham calma! Trump não vai construir nenhum muro, não vai detonar bombas nucleares, mandar dizimar minorias étnicas ou mandar prender Hillary Clinton. Nada disso. Ao contrário de tudo o que se possa dizer, enquanto Presidente dos EUA, Trump não vai implementar nenhuma das medidas sonantes e absurdas que andou a apregoar durante a campanha.

 

Trump Presidente actuará tal e qual os seus antecessores, como um pau-mandado. Calma! Trump não é o diabo... E se for vai dançar consoante a música. Ali até o diabo é engrupido.

Autoria e outros dados (tags, etc)


12 comentários

Imagem de perfil

De Chic'Ana a 10.11.2016 às 09:18

Estou de acordo com a opinião, sim!
Beijinhos
Sem imagem de perfil

De Makiavel a 10.11.2016 às 14:05

A questão não se Trump fará o que andou a apregoar na campanha.
A questão é: o que ele disse, na campanha, que fazia, servirá de pretexto a atitudes no dia-a-dia consentâneas com os seus dislates; ataque às minorias étnicas, sociais e religiosas, comportamentos sexistas, preconceitos vários exacerbados.
O exemplo vem de cima.
Internamente, os americanos vão passar um mau bocado. A comunidade afro-americana, já hoje vítima de tiro ao alvo das forças policiais, sê-lo-ão ainda mais.
Internacionalmente será mais ou menos o mesmo.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 10.11.2016 às 14:45

A sua análise é muito redutora, quando baliza o perigo entre o que trump vai ou não vai fazer.
Estou completamente de acordo com o comentário de "Makiavel".
Quem elege um trump, não o faz para o ver "portar-se bem", e facilmente se dispõe a fazer por si próprio o que a pessoa em quem depositou o voto e as expectativas não quiser ou não puder fazer. Trump exacerbou o ódio e os seus iguais não lhe vão perdoar que não o cumpra!.
Sem imagem de perfil

De Me a 10.11.2016 às 14:59

Mas, quem é V.Exl, para dizer o que o Trampas vai ou não fazer?? Este Sapo é só asneiras
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 10.11.2016 às 15:19

Geralmente quem tem ideias assim não pode ser seguramente boa pessoa, mas em todo o caso vamos aguardar para ver no que vai dar
Sem imagem de perfil

De Nome a 10.11.2016 às 16:35

A questão é : O que levou as pessoas a votar nele ?
Sem imagem de perfil

De I a 10.11.2016 às 19:10


Recuando na História.
O que é que levou as pessoas a votarem em 1932 em Hitler?
Sem imagem de perfil

De separatista-50-50 a 10.11.2016 às 20:24

TRUMP - uma vitória da liberdade de expressão contra aqueles que já se consideram os Donos Disto Tudo (DDT's) - a alta finança (capital global).
.
O homem foi tratado pior que um criminoso: por todo o lado choveram comentadores políticos acusadores (marionetas ao serviço da alta finança - capital global)... e o homem não teve direito a um comentador de defesa!
.
Um case-study para a história: a forma como as marionetas da alta finança (capital global) fizeram a campanha anti-Trump.
.
NOTA A NÃO ESQUECER: aqueles que já se consideram os Donos Disto Tudo (DDT's) - a alta finança (capital global) -... estão apostados em dividir/dissolver as Nações... terraplanar as Identidades... para assim melhor estabelecerem a Nova Ordem Mundial: uma nova ordem a seguir ao caos – uma ordem mercenária (um Neofeudalismo).
.
.
A construção de 'pontes' dos Hilários Clinton: NEGAR O DIREITO DE PROSPERAR AO SEU RITMO!
Para os Hilários Clinton a sobrevivência de Identidades Autóctones é uma coisa que prejudica os mercados... mais, para os Hilários Clinton, quando um povo nativo economicamente pouco rentável é teimoso (isto é, ambiciona prosperar ao seu ritmo, isto é, ambiciona ter o SEU espaço no planeta)... deve levar com um Holocausto Massivo em cima!
[nota: existem muitos Hilários Clinton a viver em territórios de povos nativos que foram alvo de um Holocausto Massivo]
.
.
.
Todos diferentes, todos iguais... isto é: todas as Identidades Autóctones devem possuir o Direito de ter o SEU espaço no planeta (nota: inclusive as de pouco rendimento demográfico... inclusive as economicamente pouco rentáveis).
Os 'globalization-lovers', UE-lovers e afins... que fiquem na sua... desde que respeitem os Direitos dos outros... e vice-versa.
Pelo legítimo Direito à Sobrevivência das Identidades Autóctones:
-» http://separatismo--50--50.blogspot.com/
{O primeiro passo será/é ir divulgando a ideia de SEPARATISMO-50 nos países aonde a população nativa está sendo submergida pelo crescimento demográfico imparável dos não-nativos naturalizados}


Sem imagem de perfil

De Paulo Rato a 11.11.2016 às 03:47

Concordo inteiramente com a defesa, mais, com a imposição do "legítimo Direito à Sobrevivência das Identidades Autóctones (...) nos países aonde a população nativa está sendo submergida pelo crescimento demográfico imparável dos não-nativos naturalizados".
O primeiro passo será, naturalmente, expulsar das Américas - do Norte, Central e do Sul - todos os não-nativos, isto é, todos os que não sejam legítimos descendentes de uma tribo de "peles-vermelhas" norte-americanos, de índios da América Central e do Sul, dos Maias, dos Incas, dos Aztecas... Quem estiver a mais deverá ir para as regiões de origem dos seus ascendentes, que andaram a multiplicar-se abusivamente durante uma data de anos (a bem dizer, séculos), a determinar por especialistas, porque esta coisa das origens é algo complicada, uma intrincada confusão histórica que há que desembaraçar até à última e mais ínfima diferenciação genética. Os inúmeros "misturados" deverão ser encaminhados pelos genes preponderantes, democraticamente, por maioria simples...
Da África do Norte, tudo o que não seja egípcio, tuaregue, berbere e assim terá de ser devolvido, a começar pelos conquistadores árabes, grandessíssimos malandros. Da actual nação sul-africana, tudo o que não seja de pele negra (excluem-se os albinos) será igualmente remetido para a terra dos antepassados, repudiando a suspeitíssima herança dos ideais de Nelson Mandela, um desvairado visionário (de que sou admirador, mas por perversão genética: sei lá que percentagens de lusitanos, vândalos, romanos, godos e visigodos, berberes, judeus e os mais que por cá passaram convivem em mim!)...
E por aí fora... Austrália e Nova-Zelândia serão devolvidas aos respectivos aborígenes; Havai aos havaianos; e muitos etcs.
Depois de tudo bem limpinho, as únicas dúvidas, em relação aos actuais EUA, p.e., é se o Presidente será cherokee, sioux, navajo, comanche, etc.
Enfim, o melhor é começar já, que a trabalheira há-de ser muita.
Não se deve esquecer uma cuidadosa investigação sobre o que andam a fazer descendentes de godos, que vieram dos Balcãs, na Península Ibérica, ou dos Normandos nas chamadas Ilhas Britânicas. Tudo deve ser destrinçado e reposto nos devidos sítios. Se não couberem, que se apertem, como no Metro em hora de ponta.
A Identidade Autóctone é que não pode ser desrespeitada: apague-se a História, mas reponham-se todas as IAs!
Fico por aqui, no meu contributo pró iátismo, porque sou preguiçoso, confesso. Além de suspeitar, apesar das minhas aspirações(ou inspirações?) iáticas, de que nada parará o caminho para a mestiçagem generalizada, a verdadeira globalização... Sou um incréu, nomeadamente quando a realidade desmente as teorias! Os verdadeiros crentes que se vão iáticando... até à sua completa extinção, por esgotamento.
Amém.
Imagem de perfil

De Joana Raposo Gomes a 10.11.2016 às 22:31

Gosto da clareza e sarcasmo. Bom texto
Sem imagem de perfil

De José Ferreira a 10.11.2016 às 23:03

Trump ganhou com maioria absoluta.
Não vai formar governo tendo perdido as eleições.
Democraticamente respeitem quem ganhou.
Não gostam, azar, aprendam que por vezes engolir sapos (destes que mentem) faz bem.
O homem ganhou por maioria absoluta, não com as mentiras contadas acerca dele nos media LBGT tendenciosos que temos, mas com o sentir das pessoas no país dele.
RESPECT, nunca houve um resultado assim nos EUA, por alguma razão é.
O obama só trouxe desgraça e descalabro económico aos EUA e ao mundo, que se vá e desapareça.
VIVA TRUMP.
Sem imagem de perfil

De Makiavel a 10.11.2016 às 23:38

Trump ganhou o maior número de representantes no colégio eleitoral mas não teve a maioria de votos dos americanos. E isso não é de menosprezar.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor




Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D