Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Parece que o António mexia onde não devia

por contrário, em 03.06.17

António Mexia, presidente executivo da EDP foi constituído arguido. Por que será que fico com a sensação que já devia ter sido há muito? Bem, parece que o António foi indiciado por mexer onde não devia, sendo agora (só agora!) suspeito de corrupção e participação económica em negócio, coisas que em linguagem comum significa afanar uns cobres ou ter unhas na palma da mão.

 

Se notarmos que estas pessoas agora constituídas arguidas são nomes que circulam ou circularam por empresas como a EDP, a REN, o Novo Banco (antigo BES, do qual Mexia também fez parte) e até o BPN, ou que fizeram parte de governos, onde tomaram importantes medidas que beneficiaram fortemente as empresas (e eles próprios) que, pouco mais tarde passaram a administrar, não restarão muitas dúvidas sobre as razões pelas quais foram agora indiciados. Depois há os consultores de ex-ministros, e os ex-ministros que foram cornear para longe, etc.

 

Reparem, o filme é sempre o mesmo, basta puxar o fio ao novelo e ver por onde andou Mexia ao longo de décadas. Foram lugares de governante, banca, Galp, Gás de Portugal, Transgás e, por fim, culminou na EDP, que era pública e foi entregue numa bandeja a privados, pelas mãos de governantes sem escrúpulos que posteriormente foram chuchar nas tetinas de uma empresa que era de todos e que agora é pertença de uns privilegiado que, estando habituados a viver acima da lei ou a fazê-las, nada temem. Enfim, é só puxar o novelo e começam a chover nomes e trapaças e, rapidamente, se percebe a razão pela qual este país nunca descolou e sempre foi um paraíso para meia-dúzia de finórios.

 

António Mexia, um finório PPD condecorado por Cavaco, com a Grã-Cruz da Ordem do Mérito Empresarial terá agora que explicar os seus méritos à justiça. E podemos ficar descansados? Claro que sim. A justiça em Portugal funciona. O Dias Loureiro que o diga.

Autoria e outros dados (tags, etc)

BPN: então e o Dias Loureiro?

por contrário, em 24.05.17

Está marcada para hoje a leitura do acórdão do processo principal do BPN. Pelo que temos assistido em situações análogas não é de esperar grandes surpresas, até porque essas ficaram de fora do processo.

 

Uma das grandes surpresas a que me refiro foi o facto de Dias Loureiro não ter sido acusado de nada. Daí que a grande pergunta que quase toda a gente faz é: Por que razão Dias Loureiro não foi acusado?

 

São conhecidas pelo menos 147.500 razões que, por sua vez, perfilharam mais 209.400 razões. O facto de Dias Loureiro ter sido secretário-geral do PSD enquanto outra razão era Presidente do mesmo, também deve ter contribuído. Dias Loureiro também foi ministro no governo dessa bela razão. Dias Loureiro foi ainda um dos arquitectos da campanha eleitoral para as Presidenciais da maior razão e, pouco depois, tornou-se Conselheiro de Estado enquanto a razão tentava presidir à nação.

 

Há ainda, pelo menos, uma aldeia repleta de luxuosos lotes de razões, que fica lá para os lados da Coelha e que eventualmente safaram Dias Loureiro da acusação.

 

E por último, não nos podemos esquecer das inúmeras contas offshores espalhadas um pouco por todo o mundo, que encavacariam muitos bons nomes, mas para isso era preciso que fosse produzida acusação a Dias Loureiro e que ele cuspisse tudo. Algo que não aconteceu.

 

Em Portugal é assim. Há dias bons e há dias loureiros. Cheira-me que hoje é mais um dia loureiro para a justiça portuguesa.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

A "Lady Swap" é uma optimista

por contrário, em 29.09.15

Sobre a ordem que terá dado para que os prejuízos do BPN fossem ocultados, a ministra das finanças cessante Maria Luís Albuquerque, pronunciou-se dizendo que: "pediu à Parvalorem que revisse as contas, porque lhe pareceu que a estimativa avançada era demasiado pessimista". E, como se sabe, de pessimismos estamos nós bastante fartos. Portanto, a ministra, que na altura era secretária de Estado do Tesouro, limitou-se a fazer um favor ao país, apostando numa política de boas notícias para animar a malta. É um tesourinho esta senhora, não é?

 

Ou seja, a ministra não pretendia que as contas fossem ocultadas, ela apenas queria um bocadinho mais de optimismo. Quem disse que as coisas têm que ser como são? Feias e más! O importante é parecer que está tudo bem. Animem-se! Não sejam piegas.

 

Já em 2013, a "Lady Swap" também havia negado que nunca havia estado relacionada com qualquer operação de swaps. A verdade é que aprovou um swap da Estradas de Portugal em 2010, quando era técnica do IGCP.

 

Passos Coelho, veio a terreiro (muito perturbado) defender a sua ministra, que também é sua amiga do peito e foi sua professora na licenciatura que concluiu com muito custo, nessa universidade privada de renome que é a Lusíada. O que disse Passos Coelho? Naquele tom de voz que foi engendrando durante os longos anos em que não conseguiu terminar o curso, Passos disse que "não houve qualquer ocultação de contas" e que, no lugar da sua querida ministra "teria feito a mesma coisa".

 

Portanto, o que há de novo neste assunto? Nada. Há o mesmo de sempre, que esta gente foi perpetrando ao longo dos últimos quatro anos: buracos, contas deturpadas, números falsos, mentiras e mais mentiras

Autoria e outros dados (tags, etc)

Perguntas para Paulo Rangel

por contrário, em 31.08.15

1 - Pode um primeiro-ministro estar sob investigação, estando o PSD/CDS no poder?

2 - Pode um vice-primeiro-ministro estar sob investigação, estando o PSD/CDS no poder?

3 - Pode um presidente da república estar sob investigação, estando o PSD/CDS no poder?

4 - Podem os responsáveis pela roubalheira do BPN (tudo malta alaranjada, a quem o senhor beijou mãos e lambeu botas) continuarem à solta, estando o PSD/CDS no poder?

5 - Pode o "Caso dos Submarinos" ter sido arquivado sem que houvesse julgamento, estando o PSD/CDS no poder?

6 - Pode um ex-banqueiro dono do BPP (banco que tinha nos seus órgãos sociais nomes como Pinto Balsemão, João de Deus Pinheiro, António Nogueira Leite, Rui Machete, tudo malta que o senhor deve conhecer) ser absolvido, estando o PSD/CDS no poder?

7 - Será que o maior banqueiro de quem o senhor fala agora, é o antigo dono do banco que originou a denúncia do "Caso Portucale" e que, se calhar, só por esse motivo está agora a ser investigado, já que um dos principais visados nesse caso é agora um governante?

 

Compreendo que, estando perante a habitual plateia de choninhas da universidade de Verão do PSD, Paulo Rangel (enquanto docente catedrático neste tipo de academias) tenha que fazer um dos seus habituais números de circo. Mas agora que a as lérias já foram todas ditas, faça favor de responder como "gente grande".

 

É claro que compete ao poder judicial dar resposta a estas questões, mas como o senhor Paulo Rangel se revelou um especialista na matéria, gostaria que respondesse com a maior prontidão possível.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Há dúvidas?

por contrário, em 10.07.15

A anedótica "operação marquês", executada pelos não menos anedóticos senhores Carlos Alexandre e Rosário Teixeira (juiz e procurador) e orquestrada pelos senhores do poder, continua a produzir os seus efeitos.

 

Mas alguém duvida que este caso foi montado propositadamente para prejudicar o Partido Socialista, e assim favorecer aqueles que se encontram "impunemente" nas instituições do poder?

 

José Sócrates foi detido na mesma altura em que António Costa assumiu a liderança do partido. Coincidência? Claro que não. A partir de então, todas as notícias que vêm a público, muitas delas violando reiteradamente o segredo de justiça, aparecem sempre em alturas demasiado cirúrgicas. Sempre que o Partido Socialista se apresenta reforçado por alguma razão ou, tal como agora, se aparece à frente nas sondagens, há-de surgir logo um novo detido na operação marquês para desviar as atenções e tentar denegrir a imagem do partido. Coincidência?

 

Tem sido sempre assim. E assim será, pelo menos até às próximas eleições. E quanto mais quente estiver a campanha, mais nomes e casos aparecerão nesta "operação marquês", porque a campanha está planeada e em marcha.

 

Tenho aqui perguntado várias vezes, e volto a perguntar ao senhor juiz e senhor procurador se não têm novidades sobre o caso BPN.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pela primeira vez Cavaco acertou

por contrário, em 29.06.15

Muita celeuma à volta das últimas declarações de Cavaco Silva, por este ter dito hoje que se a Grécia sair da Zona Euro passam a ficar 18 países. É verdade! Neste momento a Zona Euro é composta por 19 Estados-membro, se sair um, ficam 18. Recapitule-se, 19 - 1 = 18. É incrível mas é verdade, pela primeira vez na vida Cavaco acertou na mouche. E olhem que a conta estava bem difícil de se fazer...

 

Preocupou-me mais quando o ouvi dizer que "Portugal não é a Grécia", ou então quando acrescentou que "se a Grécia sair, o crescimento económico de Portugal não será afectado", ou ainda, que "gostaria que houvesse um entendimento" mas "acreditar (nisso) é outra coisa". Isto é que já revela o verdadeiro Cavaco, o mentiroso, o manhoso, o orquestrador de campanhas. Cavaco, se fosse decente, deveria ter dito hoje aquilo que disse quando foi confrontado com as dívidas de Passos Coelho à Segurança Social. Na altura ele disse: "o Presidente está acima das polémicas dos partidos" e "cheira a campanha eleitoral". Mas já sabemos sobre o sentido de oportunidade de Cavaco Silva, o mesmo que disse que "os portugueses podiam confiar no BES".

 

O homem que nunca se engana e raramente tem dúvidas, na verdade só hoje foi capaz de acertar numa conta, mesmo tendo-o feito de modo malicioso. Nem mesmo aquando do saque ao BPN que lhe rendeu muito cascalho, se pode dizer que acertou porque, segundo o próprio, foi a Maria quem fez as contas nessa altura.

 

Parabéns Cavaco! Aposto que na Lusófona já está tudo a preparar-se para te atribuir um Doutoramento.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Caso BPN: é sempre a adiar!

por contrário, em 03.01.15

Mais um adiamento a juntar ao longo rol de atrasos no julgamento do caso BPN. Neste caso, trata-se de um caso que envolve Arlindo de Carvalho (ANTIGO MINISTRO DE CAVACO SILVA) e Oliveira e Costa, antigo presidente do BPN e ANTIGO SECRETÁRIO DE ESTADO DE CAVACO SILVA.

 

Este adiamento estará reclacionado com o frio que se faz sentir por esta altura e, como a nova data agendada é o dia 3 de Fevereiro, receio que um novo adiamento esteja na forja, é que nessa altura ainda deverá estar fresquito...

 

Importa ainda recordar que o caso BPN começou a ser julgado em 2010... e até agora nada! É certo que se trata de um caso complexo, recheado de todo o tipo de crimes de colarinho "branco sujo", ele é branqueamento de capitais, burla qualificada, falsificação de documentos, fraude fiscal qualificada, abuso de confiança, aquisição ilícita de acções (o meu preferido), etc. É também um caso que envolve quase todas a criaturas políticas partejadas por CAVACO SILVA e, obviamente, ele próprio.

 

Sinceramente, espero que a demora na preparação dos vários processos que compõem este julgamento, se deva ao facto do ministério público e dos juizes estarem a passar tudo e todos os envolvidos a pente fino. Talvez estejam à espera de Janeiro de 2016 para poderem arrastar mais alguns nomes para o banco dos réus, que agora se encontram protegidos por certas e determinadas prerrogativas.

 

Senhores da justiça, aqueles que compraram e venderam acções de forma ilícita, não cotadas em Bolsa (obtendo desmedidas mais-valias), vão ou não ser julgados? Aqueles que enriqueceram ilicitamente ao abrigo do BPN e que construiram urbanizações de luxo no Algarve, vão ou não sentar-se no banco dos réus?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

A falta de credibilidade de Marques Mendes

por contrário, em 14.12.14

O político Marques Mendes nunca me mereceu qualquer consideração. Matraquilho de Cavaco Silva, sempre demonstrou uma especial predestinação para o servilismo. Como comentador, Marques Mendes continua fiel a si mesmo, apaixonado pelos jogos políticos e sempre com dois pesos e duas medidas, a aplicar consoante o caso que lhe é dado a comentar. Pena que o jornalismo português seja tão raso e que, raramente use a confrontação das afirmações e dos factos, como se as pessoas que escutam ou lêem notícias/comentários fossem estúpidas e sem memória.

 

Marques Mendes, como exemplar soldado da Direita, sempre defendeu o capitalismo e os senhores da banca. Mas, à semelhança do que acontece com a actual Direita, nomeadamente os partidos da maioria (PSD/CDS), Marques Mendes enche a boca toda para dizer mal de Ricardo Salgado e do BES. Façam umas pequenas pesquisas às declarações que este senhor fez no passado, em relação a Ricardo Salgado e ao BES e vão chover contradições. De facto, é muito estranho ver as gentes da Direita atacar tão vorazmente um banqueiro! Algo de muito errado se passa.

 

Pior ainda. Não sei se já repararam que estes autómatos da Direita não perdem uma oportunidade de tentar colar o caso BES ao caso José Sócrates, eu percebo a ideia deles que, aliás, é a mesma de sempre: joguinhos políticos, que o senhor Marques Mendes diz não gostar. Como pode não gostar de algo que faz com tanta mestria?

 

No seu habitual espaço de comentário na SIC, este Sábado, Marques Mendes diz não compreender e estranhar a razão pela qual Ricardo Salgado afirma que "não se lembra" de determinados factos, que "desconhecia" o que se estava a passar de errado e que "nada tinha a ver com a queda do banco". E, mais uma vez tentou colar Ricardo Salgado a Sócrates. Mas... porque não tentou estabelecer um paralelo com um dos seus entes queridos? E são tantos! Poderia ter elaborado um paralelismo com as declarações de Cavaco Silva, aquando do caso de compra e venda de acções da SLN/BPN. A comparação faria muito mais sentido, pois trata-se de outro escândalo na banca. Cavaco também não se lembrava de nada e chegou mesmo a "empurrar" a culpa para as costas da coitada da mulher. Enfim, ridículo!

 

Sobre o caso das acções de Cavaco Silva, Marques Mendes limitou-se a agir de acordo com a sua condição de autómato e defendeu o seu padrinho, dizendo que se tratou de algo perfeitamente normal e que Cavaco ainda perdeu dinheiro, já que poderia ter ganho ainda mais. Marques Mendes veste a pele do defensor da verdade e da justiça, clamando aos céus que se apurem os culpados no caso BES e que se saiba onde está o dinheiro que desapareceu. Mas, parece não se importar muito em querer saber onde foi parar o dinheiro do BPN e em apurar os culpados. Talvez ele saiba onde foi parar... talvez ao bolso de alguns investidores em acções que nem sequer estavam cotadas em Bolsa... talvez na construção de urbanizações de luxo no Algarve... talvez em avolumadas contas em paraísos fiscais... Mas isso agora não interessa a Marques Mendes.

 

Ainda sobre o paralelismo, poderia ter recorrido a um caso mais recente. Porque não comparou a falta de memória de Ricardo Salgado com a postura de Passos Coelho no caso Tecnoforma? Passos Coelho também não se lembrava de nada. E o que disse Marques Mendes na altura? Disse que Passos Coelho foi "um bocadinho vítima".

 

É assim que se constrói a credibilidade de um político e comentador. Com dualidade de critérios e total falta de credibilidade no discurso. Contudo, tudo isto feito com voz firme, na horário mais nobre das televisões e patrocinado por um jornalismo rasteiro, eleva qualquer um aos píncaros da moralidade.

 

Marques Mendes é, em sua medida, um homem íntegro.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Os cornos da banca

por contrário, em 09.12.14

O historial da banca portuguesa tem demonstrado que, sempre que há um problema grave numa instituição bancária, o maior responsável por essa mesma instituição nunca sabe de nada, até ao momento em que a tenda vai abaixo.

 

Foi assim com o BPP de João Rendeiro, com o BPN/SLN de Oliveira e Costa, Dias Loureiro e Cavaco Silva, o BCP de Jardim Gonçalves e é agora com o BES de Ricardo Salgado. Há sempre um traço comum nestes casos, nunca ninguém sabe de nada até ao momento em que a trapaça deixa de funcionar. As sumidades da gestão bancária em Portugal são sempre os últimos a saber. São aquilo a que eu chamo de "cornos da banca". Coitados! Não têm culpa de serem cornudos, pois nada fizeram para que tal lhes acontecesse. São pessoas honestas, humildes e que têm apenas um defeito, que é o de confiarem em gente que os acaba por trair. 

 

Esta gente é merecedora de compaixão e não de comissões parlamentares de inquérito e julgamentos. Se até a justiça os deixa em paz com a pesada e custosa cornadura que os monta, porque razão havemos nós de os querer crucificar?

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

A cabala está montada

por contrário, em 24.11.14

Desde que este governo tomou posse que se percebeu que, a já débil democracia portuguesa, seria posta de lado para dar lugar a um regime ditatorial moderno.

 

Trata-se de um regime ditatorial que permite a toda a gente dizer o que quer e o que pensa, permite manifestações e palavras de ordem, mas no final quem manda é quem está no poder. E quem está no poder manda em tudo, inclusive na Justiça. Recordar-se-ão das célebres palavras da ministra da justiça, que disse: "basta de impunidade". Nesse mesmo momento eu comecei a ver o filme todo e até antevi aquilo que se está a passar agora, ou seja, a detenção de José Sócrates. Certamente também se lembram das várias tentativas de entalar o anterior Primeiro-Ministro, algo que nunca ficou provado, mas agora que "basta de impunidade", a coisa está a funcionar. Será?

 

Hoje, o sr. dr. fanfarrão juiz Carlos Alexandre determinou a prisão preventiva de José Sócrates. Este é o juiz que espelha e quer fazer jus às antigas palavras da ministra da justiça, repito: "basta de impunidade". Este juiz é o mesmo das investigações "Monte Branco", "Furacão", "Face Oculta", "Portucale", "Remédio Santo", "Vistos Gold" (ainda se lembram?), "Caso BES" e "BPN", sim é verdade, o mesmo juiz do célebre e jamais esquecido caso "BPN". Mas, por incrível que pareça, só o caso "Face Oculta" produziu culpados, tudo gente que a tríade instalada tentou enlaçar ao Partido Socialista e, em particular a José Sócrates.

 

Finalmente, a tríade conseguiu entalar José Sócrates, depois de tantas tentativas frustradas. Mesmo que nada se venha a provar, o maior mal e aquele que a tríade sempre quis e não conseguiu até agora, já está feito. Sócrates está definitivamente morto politicamente. E até mesmo antes de ser condenado, já estão a tentar enlaçar novamente o PS na jogada, com o único objectivo de perpetuar a tríade ditatorial moderna que se instalou na sociedade portuguesa.

 

Eu sou o primeiro a exigir que se faça justiça neste país, doa a quem doer. O que eu não suporto é uma justiça selectiva.

 

Gostaria de perguntar ao sr. dr. juiz Carlos Alexandre onde estão os detidos do caso BPN, por exemplo? Não sei se será porque este caso não ter suspeitos ligados ao Partido Socialista, apenas do PSD (e não são poucos), ou se pelo facto de se tratar de corrupção, branqueamento de capitais e fuga aos impostos em valores astronómicos que, provavelmente a cabecinha do sr. juiz terá dado nó. Deve ter sido isso...

 

Justiça sim, mas para todos! Eu não acredito numa justiça que actua para alguns, mas que deixa os outros à boa vida.

 

Há por aí muita gente entusiasmada com o estado actual da justiça em Portugal, para esses eu deixo apenas meia dúzia de palavras para reflexão: Cavaco Silva, Dias Loureiro, Oliveira e Costa.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor




Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D