Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Rui Rio e a partidarização dos cargos

O líder do PSD, Rui Rio, considera que a nomeação de João Galamba para a Secretaria de Estado da Energia significa que "o Governo está a partidarizar esta pasta". Rio pensa que Galamba não tem formação nesta área e que era melhor colocar um técnico nesse cargo. Além disso, Rio considera que o anterior Secretário de Estado, Jorge Seguro Sanches, “estava a fazer um percurso que demonstrava alguma independência, alguma autonomia nas suas políticas e decisões”. Rio prevê que agora não será assim, mas “vamos ver”, disse o líder do PSD. Eu tinha a ideia de que a Direita estava um tanto incomodada com a forma como Jorge Seguro Sanches estava a lidar com as energéticas, nomeadamente a EDP. Deve ser só impressão minha.

 

Bem, vamos por partes. Eu gostaria que Rui Rio me explicasse de que forma é que um Governo não é partidarizado. Não tenho memória de algum Governo que o não fosse e prevejo que isso não vá acontecer tão cedo. Caro Rui Rio, todas as pastas de um Governo são partidarizadas, não me diga que se um dia chegar a Primeiro-ministro vai abrir concursos independentes, para recrutamento e selecção de ministros e secretários de estado.

 

Agora o facto de Galamba não ter formação na área da Energia. Será assim tão importante? Até pode ser. Mas os argumentos que servem para defender a ideia de que na Secretaria de Estado da Energia deveria estar um técnico especializado, são os mesmos que servem para defender exactamente o mesmo para todas as outras áreas ministeriais e respectivas Secretarias de Estado. E, assim sendo, muito poucos dos políticos que conhecemos alguma vez teriam feito ou fariam parte de Governos, porque quase nenhum é especialista de coisa alguma.

 

Mais incrível ainda foi quando disse que o anterior Secretário de Estado “estava a fazer um percurso que demonstrava alguma independência, alguma autonomia nas suas políticas e decisões”. Vejamos, eu não tenho a certeza perante quem, Rui Rio considera que Jorge Seguro Sanches demonstrava “alguma independência” e “alguma autonomia”, se para o lado do Estado ou para o lado das empresas que operam no sector. Seja como for, não faz sentido o que disse Rio. É que qualquer Secretário de Estado ou governante deve estar 100% comprometido com a defesa dos interesses do Estado. Já em relação às empresas energéticas, a independência e a autonomia deve ser total, não apenas “alguma”.

 

Portanto, em relação à mais que provável nomeação de João Galamba para a pasta da Energia, o melhor é mesmo esperar para ver. Nesse aspecto, Rui Rio teve “alguma” assertividade.

Estado de Emergência?

A empresa EDP declarou Estado de Emergência para o distrito de Coimbra. Ora, Estado de Emergência é uma situação declarada pelos Governos dos respectivos países e não por uma empresa que, ainda por cima, é privada. Ou a EDP ainda se confunde com o Estado Português, o que se compreende, dadas as relações promíscuas que ainda se vão cultivando. Ou então, dado que o seu maior accionista é o Estado Chinês, estará a agir de acordo com esse facto.

 

Sabe-se ainda que a EDP pondera pedir ajuda internacional. Pois. Isso também levanta algumas dúvidas e preocupações, uma vez que sendo a EDP uma empresa cuja estrutura accionista é maioritariamente composta por capital estrangeiro, suspeito que a ajuda internacional a que se referem venha a ser prestada pelo Estado Português.

 

Sinceramente, espero que a EDP saiba assumir todas as suas responsabilidades em tempo útil e que não se escuse num usurpado Estado de Emergência para protelar a situação, à espera que o Estado, o nosso, se responsabilize.

Joana Marques Vidal é a favor da “meia renovação” de mandato na PGR

A anterior Procuradora-Geral da República, Joana Marques Vidal, entende (ou entendia) que o mandato de seis anos do(a) Procurador(a)-Geral da República “é único e não renovável”. Joana Marques Vidal disse-o em 2016, numa conferência em Cuba.

 

Entretanto, no dia em que deixa o cargo e uma nova pessoa inicia o seu mandato, Joana Marques Vidal diz que “actualmente a Constituição prevê a possibilidade de renovação de mandato”. Não, não prevê. Como magistrada, Joana Marques Vidal deveria ter mais cuidado na escolha das palavras. É que a Constituição não prevê nada disso. A Constituição não expressa esse impedimento, o que é bem diferente, contudo, é claro que o espírito da lei vai no sentido da não renovação de mandato, do mandato único. É tácito. É só interpretar a lei sem vícios de pensamento.

 

Recordemos que, já no dia em que o Presidente da República anunciou a nomeação de Lucília Gago, a procuradora cessante mostrou-se um tanto enfadada com o facto de não lhe ter sido feita nenhuma abordagem, no sentido da sua continuidade no cargo. Como se isso fosse um trâmite no processo de nomeação.

 

Afinal, a senhora Procuradora-Geral cessante é a favor da renovação do mandato. Perdão, Joana Marques Vidal é a favor de “meia renovação” de mandato. Afinal não defende que deve ser um mandato único de 6 anos. Afinal já não entende que a “passagem dos anos” retira “capacidade de distanciamento e autocrítica”.

 

Ora, aqui está um ponto de vista que ainda não tinha sido abordado. Há os que defendem a renovação de mandato, ou seja, dois mandatos de 6 anos. E há os que defendem a não renovação de mandato, isto é, um mandato único de 6 anos. Joana Marques Vidal defende o meio-termo (9 anos). Ele há coisas…

 

Fica-se com a sensação de que Joana Marques Vidal tem falado muito com Cavaco e Passos.

 

P.S. Numa entrevista recente, Joana Marques Vidal disse que nunca enveredaria pela vida política. É pena, porque a volatilidade de pensamento confere-lhe uma especial característica para esse fim.

Agora que o ministro se demitiu já podemos esquecer Tancos

Esta é a grande conclusão que se pode tirar, por enquanto, do polémico caso de Tancos. Praticamente ninguém estava, ou está, verdadeiramente interessado em saber o que se passou. O que muitos gostariam de assistir era à demissão do ministro Azeredo Lopes e o caso estaria encerrado. Ora, o ministro já se demitiu, o que significa que já se pode esquecer o assunto.

 

Podemos esquecer que houve um roubo de armas num paiol do exército. Podemos esquecer que alguém (não foi trabalho de uma só pessoa) foi lá roubar as armas e que ninguém viu nada. Podemos esquecer que nenhuma alta patente das Forças Armadas assumiu responsabilidades no caso. Podemos esquecer que este caso foi um “caso isolado” e que isto nunca havia acontecido antes. Podemos esquecer que os militares têm uma polícia judiciária própria, que não só não é competente, como ainda participa ou encobre os crimes cometidos por alguns dos “seus”. Podemos esquecer a possibilidade de as Forças Armadas alimentarem o tráfico de armas.

 

Podemos?

 

Ainda sobre a demissão do ministro, gostaria de salientar que todo o espectro político, ainda que com motivações diferentes, defendeu acerrimamente a ideia de que é muito importante ter sentido de Estado e honrar as forças armadas. Bonito. Pela parte que me toca, vou aguardar até que as próprias Forças Armadas dêem o pontapé de saída a esse respeito.

Ainda bem que Ronaldo estava em Lisboa

Ainda bem que Ronaldo estava em Lisboa, caso contrário, a selecção nacional ainda estaria em terra à espera para descolar. O avião que levou a selecção portuguesa de futebol até à Polónia, onde vai jogar amanhã, resolveu fazer uma birra e atrasar a descolagem em cerca de 3 horas.

 

Parece que o avião teimava em não querer avançar para a pista e só ao fim de 3 horas é que os técnicos descobriram que a aeronave, afinal, só pegava de empurrão, pelo que foi mesmo muita sorte o Ronaldo estar por Lisboa, assim foram só mais 5 a 7 minutos e o avião já estava no ar a ver as estrelas.

Roupa interior de Kathryn Mayorga à venda no eBay

underkm.jpg

Corre por aí uma notícia que diz que a polícia de Las Vegas perdeu a roupa interior da Kathryn Mayorga. Mas o Contrário já apurou que a roupa não está perdida, muito pelo contrário, está bem guardada e será posta à venda, em breve, no eBay.

 

A cueca que Kathryn usou na noite em que esteve com o CR7 será posta à venda por 1 milhão de dólares. Não será cobrado portes de envio a quem a comprar, porque a cueca já contém selo.

Canções inspiradoras para Ribau Esteves

O Presidente da Câmara Municipal de Aveiro, Ribau Esteves, fez um apelo à participação nas festas académicas e, sobretudo, um apelo entusiástico para se “dar uma grande esfrega nas caloiras”.

 

Obviamente que as suas afirmações não passaram em claro e foram muitas as críticas que lhe caíram em cima. Por seu turno, Ribau Esteves defendeu-se justificando as suas afirmações da seguinte maneira: “Eu não ofendi ninguém. Isto é um episódio absolutamente ridículo. Não faz qualquer sentido. Estávamos todos em tom de brincadeira. Eu fiz uma brincadeira usando a palavra daquela que é a canção da moda, do Deejay Telio".

 

Bem, quem é o Deejay Telio? E que raio de canção da moda terá ele? Eu não faço ideia de quem se trate, mas o Ribau parece curtir bué o som desse mano.

 

Prontos para mais perguntas inquietantes? Vamos a isso. Que raio estará a fazer um Presidente de Câmara numa festa académica até de madrugada? Será que o senhor Ribau tem frustrações por resolver, dentro desta ambiência? Será que passou a noite a esfregar-se nas caloiras? Ou, dado o desfasamento etário, esfregou apenas os olhos? E, já agora, por que razão o senhor Ribau considera-se pertencer ao grupo de cidadãos "que trata melhor as caloiras do que os caloiros"? É que se ele é apologista de que se deva “dar uma esfrega às caloiras”, o que será que ele reserva para os caloiros?

 

Se eu fosse aveirense pedia já a demissão do Ribau, porque só tautau não basta. Mas como não sou aveirense, apenas sugiro que as caloiras de Aveiro se inspirem em canções para responder ao senhor Ribau. Há por aí muitas e boas que lhe assentam como uma luva.

 

 

 

Não virem as costas ao Ronaldo

Depois das notícias da alegada violação, muita gente tem posto em causa a idoneidade de Cristiano Ronaldo. E são mesmo muitos os que optaram por lhe virar as costas.

 

Contrariamente, o Presidente da República, como não podia deixar de ser, já se pronunciou sobre o assunto, optando por atestar o reconhecimento que Portugal tem pelos grandes feitos do Cristiano Ronaldo. Vi, nas palavras do Presidente, uma forma subtil de dizer que nunca virou as costas ao Ronaldo e não vai ser agora que o vai fazer.

 

Pois eu estou a 100% com o Presidente da República. O melhor mesmo é não virar as costas ao Ronaldo, por via das dúvidas.

Aviões já aterram normalmente na Madeira

O movimento aéreo esteve muito condicionado no aeroporto Cristiano Ronaldo, devido à turbulência que se fazia sentir naquela região. Consta que alguns aviões até tentaram efectuar abordagens à pista "de traseira", mas dadas as circunstâncias, as autoridades aeroportuárias não permitiram.

 

Os aviões já estão a aterrar normalmente no aeroporto da Madeira. 

(In)Capazes

Capazes é uma associação feminista criada por Rita Ferro Rodrigues e Iva Domingues. Não é novidade para ninguém a forma agressiva como esta associação lida com alguns casos que, alegadamente têm as mulheres como vítimas. Outra curiosidade muito interessante é o facto de ser, provavelmente, a única associação desta índole, que aproveita o seu sítio na Internet para ganhar dinheiro, através dos inúmeros anúncios que por lá pululam. Há que rentabilizar as visitas não é verdade?

 

Esta associação já crucificou Trump, Weinstein, Kevin Spacey, entre outros, devido às alegadas acusações de violação e abuso sexual de que foram alvo. Agora que o “acusado” é Cristiano Ronaldo, amigo de Rita Ferro Rodrigues, esta associação optou por não crucificar o CR7, tendo mesmo posto em causa a idoneidade da mulher que o acusa de a ter violado.

 

Deve ser a primeira vez na história que uma associação feminista diz coisas do tipo: “Será que Cristiano Ronaldo, ídolo nacional e um dos melhores jogadores do mundo, é afinal um violador? Ou será Kathryn Mayorga uma vil chantagista que seduziu Cristiano na discoteca onde se conheceram, já com um plano traçado para mais tarde poder extorquir-lhe dinheiro?”

 

Disse ainda que  “é óbvio que é difícil imaginar que Cristiano Ronaldo, ídolo nacional e referência para jovens de todo o mundo, tenha forçado Kathryn Mayorga a ter sexo, sem o seu consentimento, pagando-lhe depois para a manter calada”.

 

Só faltou dizer: “viram como ela dançava para ele?” ou então, “se foi ter com ele ao hotel, já sabia o que lhe esperava”. No entanto, as actrizes que se encontravam com Weinstein, no hotel, eram umas reputadas e honestas senhoras, ele é que era um porcalhão. Aliás, bastava olhar para a cara dele. Ah! Gostei especialmente da parte "tenha forçado Kathryn Mayorga a ter sexo, sem o seu consentimento". Revela bem a confusão que vai na cabecinha destas "feministas". Provavelmente, acharão que Ronaldo até poderá ter forçado, mas com consentimento

 

Reparem, esta associação feminista insinua, muito vincadamente, que a Kathryn Mayorga (uma mulher, convém lembrar) é “uma vil chantagista que seduziu” o pequeno e indefeso Ronaldo, provavelmente com a promessa de lhe oferecer um pacotinho de gomas docinhas.

 

As pessoas que dirigem esta associação já haviam demonstrado, várias vezes, a sua incapacidade para atingir os fins a que se propuseram. Com esta tomada de posição caiu-lhes a máscara e acabam de se autodeterminar completamente “Incapazes”.