Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

O atestado médico de Bolsonaro

Jair Bolsonaro informou que não vai estar presente no debate televisivo de esta noite, na TV Globo. Bolsonaro alega que se trata de uma recomendação médica.

 

Portanto, o homem que não teme nada nem ninguém e que promete dar cabo de tudo e de todos, não vai a um debate televisivo porque o senhor doutor disse que não era aconselhável. Ui! Não se pode contrariar o senhor doutor! Afinal, o mauzão Bolsonaro não passa de um mariquinhas que tem medo de constipar.

 

Agora a sério. O homem não pode mesmo ir ao debate televisivo. O Contrário teve acesso ao atestado médico e não resta qualquer dúvida de que isso seria muito mau para Bolsonaro.

 

No atestado a que tivemos acesso consta o seguinte:

 

“… o senhor Bolsonaro encontra-se inapto para participar em qualquer tipo de debate político, bem como em todas as situações públicas onde poderá ser desafiado a mostrar a cicatriz que tanto nos custou a fazer…”.

Parem de acusar o menino Ronaldo

Fala-se por aí que há uma investigação em curso, com o intuito de averiguar se é ou não verdade que Cristiano Ronaldo violou uma mulher há 9 anos.

 

É lógico que isto só pode ser invenção de uma pobre coitada que quer ficar famosa às custas do menino de ouro. É o que mais se vê por aí, não é? Por exemplo, também já acusaram Donald Trump de coisas parecidas. Ele que também é famoso, rico e, além disso, é presidente dos EUA. Mas no caso de Trump é diferente, porque basta olhar para a cara dele e vê-se logo que se trata de um tarado. Sim, sim. A taradice vê-se pela cara da pessoa, aliás, isso é algo que está cientificamente provado.

 

O caso da acusação a Ronaldo é completamente diferente. Cristiano Ronaldo tem cara de menino humilde, pelo que qualquer pessoa de bem vê logo que jamais seria capaz de cometer um acto de violação.

 

Mas, mais do que qualquer desculpa ou álibi, convém lembrar que Cristiano Ronaldo é o melhor do mundo, um exemplo de superação, uma máquina a bater recordes. Se fosse verdadeira a acusação de violação que recai sobre Ronaldo teriam que aparecer, pelo menos, mais umas 30 mulheres a acusar o CR7 de lhes ter feito o mesmo naquela noite. Porque se o Ronaldo fosse um violador seria, com toda a certeza, o melhor do mundo e nunca faria por menos de 30 numa noite.

 

Eh… pode lá ser verdade…

A justiça portuguesa tem 50% de hipóteses de ser como a brasileira

Na passada Sexta-feira foi sorteado o juiz que vai conduzir a fase de instrução do processo Operação Marquês. O resultado do sorteio ditou que será o juiz Ivo Rosa a dirigir a instrução. Recordemos que a fase de inquérito foi dirigida pelo juiz Carlos Alexandre, o outro juiz que constava no lote de dois, repito, dois juízes que compõe o Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC).

 

Gostaria de começar por questionar o facto de o sorteio ser electrónico. Porquê? Podia ser como no sorteio da escolha de campo no futebol, ou seja, por moeda ao ar, uma vez que só existe duas hipóteses de resultado. Se calhar, neste caso em concreto, estavam com medo que a moeda pertencesse a um amigo de José Sócrates e estivesse viciada.

 

Outra aberração deste sorteio é o facto de o juiz que conduziu a fase de inquérito fazer parte do lote de possibilidades para conduzir a instrução, com 50% de hipóteses. Note-se que Carlos Alexandre já deixou bem claro o que pensa acerca da presumível culpabilidade dos arguidos. Ora, colocar Carlos Alexandre como hipótese de também conduzir a instrução seria o mesmo que não haver instrução.

 

A fase de instrução serve para se verificar se a prova reunida na fase de inquérito é ou não válida e se o processo deve ou não ir a julgamento, pelo que se fosse Carlos Alexandre a dirigir a instrução do processo, nunca haveria lugar à instrução do mesmo, já que Carlos Alexandre não ia invalidar tudo aquilo que andou a defender durante a fase de inquérito.

 

Portanto, em Portugal, sobretudo nos casos judiciais de maior dimensão, a probabilidade de ter o mesmo juiz a conduzir a fase de inquérito e a fase de instrução é de 50%, porque só existem dois juízes no TCIC. 

 

Dizem que a justiça brasileira é autocrática e persecutória, em Portugal há só 50% de hipóteses de ser como lá.

 

Valha-nos o facto de o computador, que também tinha 50% de hipóteses de fazer uma escolha acertada, não ter errado o alvo. Se calhar é melhor começar a colocar a inteligência artificial a julgar os processos, já que parece ser mais assertiva.

Pág. 3/3