Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

A ciência da “não evidência”

A Comissão Técnica de Vacinação contra a Covid-19 diz que a vacina da AstraZeneca – aquela que não foi testada em maiores de 65 anos – é segura e pode ser administrada a pessoas com mais de 65 anos. Os especialistas que compõem esta comissão técnica alegam que “não há nenhuma evidência” de que a vacina não seja segura em pessoas com mais de 65 anos.

E eu que julgava que a ciência funcionava ao contrário, ou seja, de que é necessário “haver evidência” para se atestar algo. Os senhores da Comissão Técnica de Vacinação, apesar da idade, ainda não conseguiram perceber a diferença entre “não haver evidência de que algo pode ser nefasto” e “haver a evidência de que é seguro”. A verdadeira ciência faz-se – ou deveria fazer-se – apenas nesta segunda hipótese.

Se a ciência se fizesse pela “não evidência”, então, bastaria que nunca se efectuasse nenhum tipo de testes e, assim, nunca haveria evidência de que algo poderia correr mal.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.