Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

“A Rússia está cada vez mais isolada”. Se eles dizem é porque é verdade…

brics.jpg

Há poucos meses, os países ocidentais vaticinaram que iriam deixar a Rússia completamente isolada, algo que iria conduzir à inevitável falência da economia russa, que segundo eles era extremamente débil. Então, os EUA e a Europa aplicaram uma série interminável de sanções à Rússia, aos seus bancos, aos oligarcas e às trocas comerciais em geral. E onde é que isso nos levou? Apesar de a indecente comunicação social ocidental continuar a afirmar que “a Rússia está cada vez mais isolada”, aquilo que se verifica é que enquanto as economias ocidentais estão a lidar com uma inflação insustentável e a caminhar a passos largos para uma recessão, a economia russa está bem melhor do que seria de esperar e a Rússia continua a estabelecer novas relações comerciais com muitos outros países.

É possível que a esmagadora maioria das pessoas nunca tenha ouvido falar nos BRICS, já que a comunicação social não tem por hábito mencionar do que se trata e o que representam. Os BRICS são um conjunto de países (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) que estabeleceram entre si inúmeros acordos de cooperação económica, política e militar.

Para que se tenha a noção, estes cinco países representam 3,23 mil milhões de pessoas, cerca de metade da população total do planeta e quase 10 vezes a população dos EUA. O seu PIB total é cerca de 25 triliões de euros e mais de 50% do crescimento económico mundial é realizado por este conjunto de países – um verdadeiro motor da economia mundial.

Todos os integrantes dos BRICS discordam da forma como os EUA e a Europa têm lidado com a situação na Ucrânia. Todos eles discordam da aplicação de sanções à Rússia, e todos estão a incrementar os seus negócios com a Rússia, estando a substituir paulatinamente os EUA e a Europa como parceiros comerciais.

Agora, mais do que nunca, estas cinco economias estão a estreitecer os laços que as une. Com o objectivo de reforçar a aliança, estes países estão a criar condições para desenvolver a sua própria moeda internacional e o seu próprio sistema de pagamentos, o que permite contornar as sanções impostas pelos EUA à Rússia.

E, recentemente, os BRICS estão a considerar a mais do que provável entrada de novos membros no grupo, sendo que vários acordos comerciais firmados com países terceiros já se encontram em vigor. Só a título de exemplo, há poucos dias a Rússia firmou um acordo comercial com o Irão no valor de 40 mil milhões de euros. Entre os países que já demonstraram interesse em aderir ao grupo dos BRICS estão o México, o Irão, o Bangladesh, a Indonésia, a Turquia, o Egipto, a Nigéria, o Sudão, a Síria, a Arábia Saudita, o Paquistão, a Argentina, a Venezuela e a Colômbia. Coisa pouca.

Sabemos também que, a Rússia e a China têm intensificado as suas ligações com inúmeros países do continente africano.

Portanto, dizer-se que “a Rússia está cada vez mais isolada” é uma anedota que só serve para desviar as atenções sobre o brutal falhanço que são as sanções económicas do ocidente, que só servem para piorar a vida dos cidadãos (dos europeus e dos norte-americanos). 

9 comentários

Comentar post