Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

A traquitana que pode lançar a Ana

Há uns tempos houve quem achasse insólito que um governo minoritário do Partido Socialista pudesse ter o aval dos partidos da Esquerda na Assembleia da República. Acharam tão estranho que trataram logo de baptizar esse acordo à esquerda de “geringonça”.

Curiosamente, os mesmos que viram o diabo onde ele não se encontrava são os mesmos que, agora, não viram nada de estranho no concubinato político entre Costa e Marcelo. E é por isso que aqui estou, para baptizar essa bizarrice que foi o anúncio de uma recandidatura mais que certa, mas que ninguém imaginaria que seria o líder do Partido Socialista e Primeiro-Ministro a fazê-lo. E nem me vou pronunciar sobre o local onde se deu a chavasquice.

Assim, a partir de agora, chamarei a essa coisa que tanto une Costa a Marcelo de “traquitana” que, empurra daqui, empurra dali, vai seguramente conduzir os dois ao seu destino.

Há quem considere que Marcelo não necessita da “traquitana” para se reeleger, o facto é que ele não enjeitou o repto de António Costa, muito pelo contrário, aproveitou de imediato a boleia de Costa, que tem estado com a sua popularidade em alta. Além disso, Marcelo sabe que não vai poder andar a distribuir beijinhos e abraços, e isso talvez o esteja a apoquentar.

Já António Costa, aproveitou o momento para matar dois coelhos com um único tiro, desviando com elevada eficácia os holofotes sobre a borrada (ou burrada) que havia feito no assunto “Novo Banco” e, imagine-se, retirar o tapete a qualquer putativo candidato (candidata, melhor dizendo) presidencial da área do partido a que ele próprio dirige, apenas para evitar que alguém que não alinha pelo mesmo diapasão lhe cause algum desconforto. Pedindo emprestado o adjectivo a Ana Gomes, deprimente, António Costa, deprimente.

A verdade é que Ana Gomes já havia decidido não se candidatar à Presidência da República, pelo que não havia necessidade. Contudo, após esta tratantice, talvez Ana Gomes possa mudar de ideias e avançar com a sua candidatura. Talvez seja mesmo esta traquitana a lançar Ana Gomes.