Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

"Abaixo-assinar" é o que está a dar

Quem disse que Passos Coelho não tem um programa para os próximos quatro anos? Tem sim senhor! Trata-se de uma solução simples e que parece resolver o problema de qualquer cidadão português - a solução é "abaixo-assinar".

 

A solução não é nova, já sabemos. Aliás foi assinando por baixo, que Passos Coelho e Paulo Portas puseram em marcha o memorando da troika, indo muito para além do mesmo. Algo que agora insistem em negar. Mas eu tenho memória. E quem não a tiver que vá ver o documento, as assinaturas destes dois marmanjos estão lá.

 

E é esta a estratégia que Passos e Portas pretendem prosseguir nos próximos quatro anos, caso vençam as eleições. Ontem, a comitiva da coligação "Portugal à Frente" esteve em Braga, onde por muito pouco não levaram uma carga de porrada da população descontente. Quando interpelado por um dos "lesados do BES", Passos Coelho disse que seria o primeiro a subscrever um abaixo-assinado para angariação de fundos, para que o grupo de lesados pudesse levar o caso a tribunal. Logo a seguir, foi interpelado por outro cidadão que lhe dizia não ter dinheiro para comprar medicamentos, ao que Passos Coelho retorquiu: "Isso não é verdade". Quanto a Paulo Portas, que só apareceu para falar às câmeras de televisão assim que sentiu que o couro estava a salvo, até aí passou pela multidão escondidinho como um rato, apressou-se a dizer que "aqueles que se manifestavam de forma exaltada eram os mesmos de sempre, os que haviam cercado um congresso do CDS em 1975". E ainda dizem que os comunistas é que são "cassetes".

 

Portanto, para estes dois finórios da coligação, quem discordar deles ou é da esquerda radical ou é mentiroso, como o homem que dizia a Passos que não tinha dinheiro para medicamentos. E por isso, têm sempre pronta a "cassete" da troika, do Sócrates, da Grécia e do Syriza. Era esta a única argumentação da coligação até ontem. Mas a partir de agora há uma solução para os problemas do país - a coligação pretende implementar uma política de "abaixo-assinados" para resolver qualquer problema financeiro. Trata-se de uma solução pensada e muito bem estudada. Bora lá embarcar nesta inteligente medida e vamos todos "abaixo-assinar" aqui e ali, vá lá, não seja piegas, faça um favor a si próprio e dê um pontapé na crise!

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.