Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Aperta-se o cerco a Rui Rio

Rui Rio assumiu a liderança do PSD há cerca de 6 meses e, desde então, há uma certa e considerável Direita que não aceita tal facto. É por isso que temos assistido a uma série de raides, mais ou menos combinados com um certa comunicação social.

 

O último ataque a Rui Rio foi protagonizado por Pedro Duarte, um ex-líder da JSD com barba grisalha e contou com o alto patrocínio da comunicação social anti-Rio. Pedro Duarte diz que “não quer desgastar a actual liderança”, mas “está pronto para derrubá-la”. Diz que “não quer pôr areia na engrenagem”, enquanto descarrega um camião de brita em cima dela. Disse ainda que não é como outros, que não está interessado em criar manobras conspirativas e calculismos relativamente ao que possa acontecer nas próximas Legislativas. Pedro Duarte não pode esperar até às Legislativas, porque aí será tarde demais, para ele e para os que, tal como ele, não deverão fazer parte das listas de candidatos a deputados.

 

Pedro Duarte usou ainda o argumento de que “Rui Rio está a preparar-se para se candidatar a vice-primeiro-ministro”, como se isso fosse mau para o PSD, considerando a situação política actual. 

 

Rui Rio até pode dar-se por satisfeito em poder vir a ser o vice de António Costa, já Pedro Duarte pretende ser o próprio António Costa do PSD, tentando derrubar o líder do seu partido, eleito por uma clara maioria de militantes, sendo que neste caso, pretende fazê-lo ainda antes de qualquer acto eleitoral. Ousado o rapazola.

 

Mas, porquê este cerco feroz a Rui Rio? Porquê conspirar contra uma líder, eleito democraticamente, desde o primeiro segundo? Será porque Rui Rio terá em mente fazer uma rodagem de cadeiras? Uma limpeza? Será porque muitos daqueles que ainda mantêm o seu lugarzinho de deputado “mal pago”, segundo dizem, estão a pouco mais de um ano de perder o assento?

 

São perguntas legítimas de se fazer. Contudo, eu que conheço bem esta malta, posso assegurar-vos que toda esta agitação tem a ver com a defesa do interesse nacional. Sim, o sempre inviolável interesse nacional que estes mártires estão dispostos a defender até à morte.