Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

“Cavalo branco” mais branco não há

Está em curso o julgamento sobre os “Vistos Gold”, onde o antigo ministro da administração interna Miguel Macedo é arguido. Soube-se que ontem houve uma sessão de julgamento onde foram ouvidas testemunhas abonatórias do arguido Miguel Macedo, entre as quais se destacam Rui Rio (líder eleito do PSD), Paula Teixeira da Cruz (ex-ministra da justiça) e Jaime Marta Soares (presidente da liga dos bombeiros).

 

Rui Rio terá dito na sessão de ontem que “A minha (sua) percepção é que a actuação de Miguel Macedo foi sempre determinada pelo interesse público". Fez ainda questão de dizer que conhece Miguel Macedo desde tenra idade e que se cruzou várias vezes com o arguido, mas só por “razões políticas”, não vá o diabo tecê-las.

 

As testemunhas abonatórias foram questionadas pelo advogado de defesa do arguido, como se já não soubessem o que lhes iria ser perguntado e o que haveriam de responder. Todos sem excepção salientaram a elevada “competência”, “isenção”, “integridade” e “honorabilidade” do arguido. Recorde-se que Miguel Macedo está acusado dos crimes de prevaricação e tráfico de influências. Recorde-se também que existem escutas telefónicas que comprovam a existência de encontros, jantares, viagens e presentes oferecidos a Miguel Macedo, onde este supostamente era apelidado de “cavalo branco”.

 

O Ministério Público não tem dúvidas da responsabilidade de Miguel Macedo nos crimes de que é acusado. As escutas são do conhecimento público, tal como acontece com outros casos mediáticos. A única diferença é que para algumas pessoas, como é o caso de Rui Rio, uns são inequivocamente culpados, partindo do conteúdo de algumas escutas, porém outros são absolutamente imaculados, independentemente do conteúdo das escutas e das acusações de que são alvo.

 

É caso para dizer que, para Rui Rio, “cavalo branco” mais branco não há.

 

Resta-me ainda salientar o facto de Jaime Marta Soares ter ido a tribunal desfazer-se em elogios para com o ex-ministro Miguel Macedo, quando todos sabemos que tem por hábito criticar toda a gente, especialmente governantes. Se tivermos em conta que no ano de 2013, em pleno reinado de Miguel Macedo no Ministério da Administração Interna morreram 8 bombeiros, não vemos grandes razões para que Jaime Marta Soares tenha especial apreço pelo ex-ministro. 

 

E, por último, duas perguntas. Por que razão um indivíduo “imaculado” recorre a testemunhas abonatórias? Suponho que seja para usar os créditos no desconto do débito.

 

E, já agora, de que forma poderá Paula Teixeira da Cruz abonar alguém?

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.