Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

CDS exige fim da austeridade na chuva

O CDS requereu a presença do Ministro da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas no Parlamento com urgência. Em causa está o facto de termos tido um Inverno pouco chuvoso e nem o mês de Abril, que costuma ser de águas mil, ter sido amigo da agricultura.

 

Para o CDS, basta de austeridade na chuva. O ministro Capoulas Santos terá que justificar no Parlamento a razão pela qual tem chovido tão pouco, já que o CDS não aceita que este Governo continue a cortar em coisas tão essenciais como a chuvinha. O CDS vai também exigir ao ministro que apresente as actas das reuniões que tem mantido com o São Pedro à porta fechada.

 

O CDS está, ainda, muito preocupado com o baixo caudal da água nas barragens. São uns queridos. Que preocupados que eles estão com os lucros da EDP, sempre avultadíssimos. Por falar nisso, dentro de poucos dias o Mexia vai apresentar os resultados da empresa, mas o CDS já está preocupado com os lucros futuros da empresa, ou então sou eu que estou a fazer confusão e eles apenas pretendem assegurar que não haverá aumento nas tarifas de energia devido à baixa de produção de energia hidroeléctrica. Eles estão preocupados com o povo e eu é que não quero ver.

 

Já agora, quando as condições meteorológicas são favoráveis, tal como têm sido para a produção de energia eólica e fotovoltaica, o CDS também exige que se baixe as tarifas de electricidade? E que se crie um taxa especial sobres os lucros da EDP, para fazer face a períodos menos produtivos?

 

Uma vez mais, o CDS servir-se-á da lavoura para tentar chegar onde realmente gosta de estar. E não me estranharia nada que, entretanto, Assunção Cristas fosse convidada pelo senhor Mexia para um qualquer lugarzito de consultadoria na EDP.