Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Cenário “negrão” na bancada do PSD

Vamos lá ver se a gente se entende. Depois de Rui Rio ter sido eleito líder do PSD, logo se começou a cogitar que haveria mudança na liderança da bancada parlamentar do partido. O então líder da bancada, Hugo Soares, apoiou a candidatura de Santana Lopes, pelo que a sua continuidade após a vitória de Rio foi imediatamente dada como inconciliável.

 

Mas, então, como se explica que tenha havido apenas um candidato à sucessão de Hugo Soares, também ele apoiante de Santana Lopes? Não havia nenhum apoiante de Rui Rio com capacidade para dar esse passo?

 

É de facto intrigante. Mas pior que isso foi o resultado da eleição do novo líder da bancada parlamentar. Fernando Negrão colheu apenas 39% dos votos, mas o parco resultado não o inibiu de afirmar que pretende uma bancada parlamentar coesa. Pois. É óbvio que Fernando Negrão não tem condições para exercer as funções de líder parlamentar, quando mais de 60% dos membros da sua bancada não o apoia. Note-se ainda que, alguns deputados que aceitaram fazer parte da lista de candidatura de Fernando Negrão não votaram favoravelmente à lista da qual faziam parte. Recorde-se ainda que, esta bancada parlamentar do PSD é a mesma que estrebuchou contra a Esquerda parlamentar, por esses terem votado contra a eleição do próprio Fernando Negrão para a presidência da Assembleia da República. Ou seja, mais de 60% dos deputados do PSD que exigiam aos partidos de Esquerda que Fernando Negrão fosse Presidente da A.R., não apoiam Fernando Negrão na liderança da sua bancada parlamentar. Só mesmo no PSD.

 

Como diz Pacheco Pereira, o PSD é um partido muito sui generis. Se bem que, eu prefiro recorrer ao vocabulário de Passos Coelho e considerar o PSD um partido apenas “redículo”.