Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

RAPIDINHA

“Stalin assinava um acordo secreto com Hitler. Nove dias depois, começava a II Guerra Mundial”. São os FdP (Fanáticos da Propaganda), uma vez mais, prostrados de quatro e levar com os bacamartes de Washington e a latir a sua propaganda. É verdade que Estaline assinou um acordo com Hitler, em Agosto de 1939. Mas em que consistiu esse acordo? E já que falam na II Guerra Mundial, como é que ela acabou? Não me digam que foi com o desembarque na Normandia… Ah! Os heróis da Normandia!

Eis que Trump demonstra ser o adulto na sala

Quando os políticos mais adultos e responsáveis na sala são Trump ou Erdogan...

O mundo encontra-se na situação que todos conhecem e o que faz o Presidente dos EUA? Joe Biden opta por enveredar pela escalada bélica – para o último patamar – e clama pelo armagedão. Por outro lado, o anterior Presidente dos EUA, Donald Trump clama por conversações de paz. Biden diz que se a situação actual na Ucrânia não se alterar há o risco de armagedão. WTF, mas então, o Presidente dos EUA não está em condições de pelo menos tentar evitar a escalada do conflito? E não se trata de apenas mais uma escaladazinha, trata-se da escalada final, que pode ter consequências devastadoras e apocalípticas em todo o planeta e em todas as espécies de vida.

Se Biden não está em condições de demonstrar uma mísera intenção de falar sobre a paz, pelo menos que esteja calado e não atire gasolina para a fogueira. Ou estará ele mais interessado em fazer jorrar milhares de milhões para a indústria de armamento, para as empresas de energia e para a banca?

Bem, sabemos que Biden não se encontra na posse das suas faculdades mentais e que está no cargo de Presidente dos EUA apenas para representar um papel: o de ser um fantoche – o maior de todos. Mas quando o Presidente dos EUA afirma que se está a um passo de uma guerra nuclear mundial, eu pergunto: que raio de cenário mais catastrófico poderá passar pela cabeça de qualquer pessoa?

Alguém no seu perfeito juízo pode sequer conceber tal ideia? O Presidente dos EUA deveria ser o primeiro a não aceitar que se falasse nessa possibilidade, e sempre que alguém o fizesse, deveria ser o primeiro a vir garantir que isso – no que dele depende - nunca vai acontecer. Então os EUA não são o polícia do mundo? E ainda por cima, o polícia bom, não é verdade?

E para aqueles que dizem que Putin é um louco capaz das maiores atrocidades, o que esperam então que se faça? Que se chegue (ou pelo menos, que se tente chegar) a um acordo de paz ou que se continue a insistir na escalada de um conflito que, segundo eles, tem um louco do outro lado carregadinho de armas nucleares e disposto a usá-las?

Note-se que em momento algum se pôde – ou pode – considerar uma vitória da Ucrânia, porque simplesmente não tem a mínima hipótese perante o poderio russo. Desde o início, aliás, ainda antes de acontecer a invasão, qualquer pessoa minimamente inteligente percebeu que, em caso de invasão, a Rússia conseguiria – tal como conseguirá, até porque já falta muito pouco – atingir todos os seus objectivos. Não há nenhuma hipótese para a Ucrânia vencer este conflito, mesmo que todos os países da OTAN enviem para a Ucrânia todo o armamento de que dispõem. E até mesmo enviando alguns militares, como estão a fazer desde 2014.

Portanto, quando os aprendizes de Milhazes e as “Rogeiretes” vêm com a ladainha de que temos que estar do lado da Ucrânia até ao fim, isso só significa uma e uma coisa só – uma guerra mundial, com a possibilidade de recurso a armas nucleares, onde não haverá vencedores, apenas vencidos. Será que esses acéfalos têm a mínima noção daquilo que defendem? Porque aquilo que estão constantemente a dizer é que o Ocidente tem que estar ao lado da Ucrânia, mesmo que isso conduza ao fim do mundo. Devem achar que isso das armas nucleares não é assim tão mau, e que estamos muito longe e, pior ainda, que se for necessário usamos as máscaras que sobraram da COVID. Bestas-quadradas.

Vejamos, em matéria de confrontação bélica, aquilo que qualquer pessoa deseja é que EUA e Rússia nunca cheguem a enfrentar-se num conflito, porque isso pode significar a maior catástrofe humanitária (e não só) alguma vez imaginada. Ora, como é que se pode aceitar que não haja um único esforço para discutir um acordo de paz da parte da OTAN/EUA, como ainda se comprova que andam todos muito interessados em namorar um confronto nuclear com a Rússia?

Convém lembrar que em Março/Abril deste ano, a Rússia colocou um acordo de paz em cima da mesa, que Zelensky – a mando dos EUA e Reino Unido – recusou sequer discuti-lo. E se recuarmos a Dezembro de 2021, também ficamos a saber que Putin quis discutir a grave situação no Donbass com o governo de Zelensky que, também nessa altura, não aceitou conversar com o Presidente da Rússia. Em ambas as situações, as únicas exigências de Putin eram que a região do Donbass se tornasse independente – note-se que não era para incorporar a região em território russo – e, obviamente, que a Ucrânia jamais integrasse a OTAN. Mesmo podendo ser considerado, por alguns, como um acordo insatisfatório para a Ucrânia, a verdade é que era um cenário muitíssimo melhor do que o actual, uma vez que agora o Donbass será integrado na federação russa, para não mais voltar a pertencer à Ucrânia.

Voltando à postura de Trump e à postura de Biden. Ainda se lembram das reacções das massas e dos media, quando Donald Trump referiu-se a Kim Jong-un chamando-lhe “little rocket man”? Eu lembro-me bem. Todos se encolerizaram e puseram as tripas de fora, acusando-o de ser um tremendo irresponsável e de estar a entrar em provocações com um lunático que tem a mão sobre o botão das armas nucleares. Agora, que Biden disse o que disse – muito mais grave – as massas de otários e os media amestrados aplaudiram efusivamente.

Patéticos.

10 comentários

Comentar post