Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Esta história cheira a falso e não tem nada de positivo

Marcelo testou positivo para a Covid-19 no mesmo dia em que havia feito outro teste que apresentou resultado negativo. Portanto, Marcelo realizou um teste de manhã que deu resultado negativo, mas, ainda assim, efectuou um novo teste à noitinha. Não conheço ninguém que repita o teste no mesmo dia, especialmente quando o primeiro deu negativo.

Mas atentemos na questão dos testes efectuados com resultado diferente. Segundo os especialistas, isto pode acontecer, porque a sensibilidade dos testes pode não ser a mesma, em diferentes laboratórios. Muito bem, apesar das dúvidas que esta diferença de sensibilidade pode levantar, parece-me aceitável admitir essa possibilidade.

Contudo, há aqui um ponto muito importante que ainda nenhum especialista foi capaz de explicar. Ou seja, os especialistas descartam a possibilidade de se tratar de um falso positivo e apontam para o cenário de Marcelo estar neste momento com uma carga viral muito baixa, razão pela qual um dos teste foi sensível a essa carga viral e o outro não.

Ora, se a carga viral é muito baixa, das duas, uma: ou Marcelo está no início do processo de infecção ou o vírus já está praticamente eliminado do seu corpo. Considerando a segunda opção, significa que Marcelo esteve com o vírus, fez inúmeros testes e nenhum apresentou resultado positivo.

O especialista Pedro Simas foi ao Primeiro Jornal da SIC e, depois de ter feito questão de anunciar que tirou um doutoramento em Cambridge - o que quer dizer que qualquer pergunta que lhe coloquem e ele não saiba responder é porque a pessoa que faz a pergunta não percebe nada do assunto e por isso deve reduzir-se à sua insignificância – sentenciou que o cenário mais que provável é o de Marcelo Rebelo de Sousa estar na fase final da remissão do vírus, dizendo mesmo que o organismo de Marcelo teria, na altura que realizou o teste positivo, uns pequenos restos de vírus. Portanto, descartou a possibilidade de falso positivo, bem como a possibilidade de estar numa fase muito inicial da doença.

Ora, posto isto, só uma pergunta interessava colocar ao senhor especialista de Cambridge. E Bento Rodrigues colocou essa questão, que é: Se o Presidente da República tem feito vários testes por semana – é provavelmente a pessoa que mais testes faz -, como é possível que NUNCA nenhum deles tenha apresentado resultado positivo?

Lamentavelmente, o especialista de Cambridge embrulhou-se e não respondeu à questão e, Bento Rodrigues, que havia sido muito incisivo na colocação da questão, infelizmente, não foi nada mordaz na obtenção de uma resposta esclarecedora.