Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Foi acidente o tanolas

O indivíduo suspeito de ter atropelado mortalmente outro indivíduo, na madrugada do passado Sábado nas imediações do Estádio da Luz, entregou-se finalmente às autoridades. De acordo com as declarações prestadas pelo seu advogado de defesa, tratou-se apenas de um acidente, pelo que o “Tanolas” (é assim apelidado o indivíduo agora detido), que é membro da claque “No Name Boys” está inocente e de consciência tranquila.

 

Nesse caso, vamos então procurar ajudar a defesa reconstituindo o crime, perdão, o acidente (assim é que está correcto), tendo por base aquilo que foi noticiado.

 

Ora bem, tudo começou quando um grupo de indivíduos ligados a uma claque do Sporting, decidiu deslocar-se até às imediações do Estádio da Luz munidos de tochas e petardos, com a finalidade de realizar uma procissão ordeira seguida de uma vigília. Recorde-se que no final desse dia disputou-se o jogo Sporting-Benfica. Entretanto, alguns indivíduos ligados à claque do Benfica “No Name Boys” que, saliente-se, são uns autênticos meninos de coro, não resistiram em incorporar nesta manifestação de fé. O objectivo era rezar um terço em conjunto e comer pão com chouriço. Mas, eis que a dada altura, um indivíduo de nacionalidade italiana, ao que parece também ele pertencente a uma claque de futebol em Itália e que estava a “estagiar” na claque do Sporting, ou seja, estava a aprender como se faz uma procissão de velas amistosa junto à casa do adversário em vésperas de dérbi, decidiu destacar-se no ritual de fé, como que num acto de afirmação. O “Tanolas”, que é um indivíduo conhecido pelo seu infindável amor ao próximo, e que foi várias vezes indiciado por ajudar velhinhas a atravessar a rua, não resistiu ao ímpeto de fé do italiano e foi na sua direcção para o abraço da paz, estava tão imbuído de fé e alegria que nem reparou que estava a conduzir um automóvel. Pois, atropelou-o. Sem qualquer intenção, claro. Aliás, tal como acabei de relatar, as suas intenções eram as melhores.

 

Agora, aparecem as más-línguas a dizer que foi propositado e que o indivíduo fugiu. Nada disso. O “Tanolas” foi a voar para casa porque tinha que se levantar cedo na manhã de Sábado, para ajudar o padre na catequese da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição da Amadora. Veja-se que o indivíduo nem teve tempo de cobrir bem o carro, sujeitando-o a levar com aquele orvalho nefasto para a pintura. Mas, acima de tudo, note-se que o “Tanolas” não tinha nada a esconder que até deixou a matrícula visível. Ao final do dia (Sábado) teve que assistir ao jogo, no dia seguinte (Domingo, dia do Senhor) esteve ocupado com as práticas dominicais. Entretanto, chegou Segunda-feira e todos nós sabemos como as Segundas-feiras são aborrecidas, além disso, na Terça foi feriado e o “Tanolas” já tinha coisas combinadas, mano. Por isso as coisas tiveram que ser adiadas, só na Quarta-feira, o “Tanolas” conseguiu concertar posições com o seu advogado e, como se viu, entregou-se quase de imediato às autoridades, ou seja, Quinta-feira à tarde depois de ir à feira a Carcavelos.

 

Enfim, este processo não vai ser fácil para o “Tanolas”, mas é preciso ter em atenção o bom samaritano que tem sido, pelo que acusá-lo de homicídio é capaz de ser demasiado pesado para o menino "Boy".