Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

RAPIDINHA

De certeza que são luas? Não serão balões "espiões" da China?

Há quem continue a fazer de conta

Este é mais um “post” que faz parte da série: “Não será destacado!”

sky_china_england.jpg

Os órgãos de comunicação social ocidentais continuam a fazer de conta que não disseram nada daquilo andaram a propagar com muito afinco, nos últimos anos. E agora é vê-los enaltecer com uma comovente eloquência, os protestos que têm ocorrido na China contra as medidas restritivas contra a Covid-19.

Pior que isso é constatar que a maioria das pessoas que alinharam com a narrativa mancomunada por toda a comunicação social ocidental, são os mesmos que agora continuam a alinhar com a propaganda ocidental.

Portanto, para a comunicação social ocidental – e todos quantos continuam a alinhar nas suas patranhas – aqueles que agora protestam na China são uns “notáveis bravos”. Já todos quantos protestaram em vários países europeus, nos EUA, no Canadá e na Austrália não passavam de “teóricos da conspiração”, de “anti-ciência” ou “patetas de extrema-direita”. Se protestares na China és um bravo, um herói. Se protestares no ocidente, então não passas de um retardado que tem que ser colocado na linha. E, no entanto, dizem-nos (políticos e comunicação social, num perfeito e enamorado conluio) que nós é que vivemos em Democracia.

Quando é que as pessoas vão acordar e perceber aquilo que se passa à sua volta? Muitos dizem: “as situações são diferentes”. Não, não são. Aquilo que é realmente diferente é o padrão estabelecido pela comunicação social ocidental, para tratar situações semelhantes que ocorrem em diferentes partes do globo. E se as pessoas não conseguem ver isso, então, o poder que a comunicação social exerce sobre as suas mentes é muito maior do que aquilo que se poderia alguma vez temer.