Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

O cisco no olho do Fisco

Ora ficou-se a saber que o motorista do fugitivo João Rendeiro comprou um apartamento de luxo, num valor superior a um milhão de euros. O motorista – coitado – depois de gastar as poupanças de uma vida decidiu ceder o usufruto do imóvel à mulher de João Rendeiro. Os motoristas que servem este tipo de gente costumam ter um espírito muito altruísta.

Obviamente que o motorista foi apenas um testa-de-ferro usado por Rendeiro. Obviamente que um motorista não dispõe de tal quantia monetária, a menos que ganhe o totoloto ou algo do género.

O que eu gostava de saber é a razão pela qual o Fisco não tem um sistema de alerta para este tipo de situações. Como é possível que um indivíduo que, muito provavelmente, apresenta uma declaração anual de rendimentos modesta, tem capacidade para adquirir um imóvel de luxo. Trata-se de um tipo de informação que as Finanças dispõem, quer o rendimento do indivíduo quer a aquisição do imóvel. Como é possível uma situação destas entrar pelos olhos dentro e mesmo assim não conseguir enxergar? Não sei, mas um simples alerta das Finanças poderia ter originado uma investigação mais eficaz.

Em Portugal é assim. Há políticos de carreira que fundam e afundam bancos. Há os que têm dinheiro para adquirir hotéis. E ainda há os que aplicam as poupanças de uma vida em acções não cotadas em bolsa e constroem imóveis milionários ao pé da praia. E, que se saiba, esses não receberam heranças dos avós.

A justiça em Portugal funciona mal, mas o Fisco, esse está sempre distraído a tentar retirar o cisco do olho, e por isso não consegue ver nada, excepto quando é para apertar os calos ao pequeno devedor.