Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

O desespero da Direita

A Direita anda desesperada. Na noite de 4 de Outubro, a Direita festejou aquilo que eles próprios chamaram de "grande vitória eleitoral". Eu percebi bem por que razões fizeram tanto estardalhaço, é que ninguém melhor do que eles, conhece melhor os males que causaram ao país em quatro penosos anos de governação. Mas não se ficaram pelos festejos daquilo que foi uma derrota e não uma vitória. Não conseguindo esconder a gente atada e de vistas curtas que são, não perderam tempo em calcar o PS, cuspir em António Costa e ignorar a grande votação obtida pelo Bloco de Esquerda e pela CDU.

 

Sim, atados e de vistas curtas. Nunca lhes passou pela cabeça que a maioria de Esquerda acabadinha de ser eleita pudesse chegar a um entendimento de governação. Então, pensaram: "vamos desancá-los". Porque esta Direita é assim, porca, desprovida de qualquer valor. Sempre foram assim, mas é quando se sentem com o poder nas mãos que melhor se revelam.

 

Depois de terem descido à Terra, deram início a uma nova estratégia tendo em vista a manutenção do poder. E então começámos a ver uma Direita muito interessada em dialogar com o PS. Uma Direita a tentar "endireitar" o PS. Uma Direita a tentar cativar António Costa, acenando-lhe com a cadeira de Portas. Uma Direita muito preocupada com a "sobrevivência" política de António Costa e do Partido Socialista (a quem chamaram de Syriza). Uma Direita empenhadíssima em partilhar a gamela com o PS, só para não a perder. Lembram-se das declarações de Marco António Costa na noite de 4 de Outubro, sobre o PS e António Costa? Comparem-nas com as que disse a partir daí.

 

Mas hoje, a Direita atingiu um nível de desespero que eu não esperava, se bem que dali já nada me surpreende... Notem bem. Parece que agora há por aí um grupo de jovenzinhos organizados, sob o mote de "Movimento Compromisso Democrático". A primeira coisa que fazem questão de dizer é que são apartidários, pois claro. E que são a favor de um entendimento PS-PSD-CDS e opõem-se a um acordo PS-BE-CDU. Portanto, são apartidários e democratas, mas já se pode ver que não suportam a existência de partidos como o BE e a CDU, e que veneram muito o PSD e o CDS, a ponto de lhes fazer um favorzinho bacoco. "Aparentemente", também apreciam os socialistas já que, tal como a Direita tenta fazer, parecem muito interessados em colar o PS aos partidos da coligação. Como é que alguém que se diz apartidário e democrata pode, de antemão, erradicar a possibilidade de um ou mais partidos com assento parlamentar (com centenas de milhares de votos) integrarem uma solução governativa? 

 

Dizem ainda que o PS tem muito mais a ver com o PSD e o CDS, do que com os partidos à sua esquerda. Realmente, parece que o PS (o grande derrotado) é mesmo o partido mais importante em Portugal, todos querem disputar a sua "amizade e compadrio". Ah... Esperem lá! Não é que a argumentação deste grupelho coincide na totalidade com a argumentação da Direita (PSD/CDS)?! Ah... Esperem lá! Querem ver que, afinal, não são assim tão apartidários?

 

Será que alguma cabeça saudável deste país acredita nas intenções desinteressadas de um grupelho de jovenzinhos que defende o Bloco Central? Só mesmo os tais atados e de vistas curtas.

 

Estes jovenzinhos cheiram à mesma matéria lodosa que a Direita.

1 comentário

Comentar post