Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

O estado actual do jornalismo e da liberdade de imprensa

freeassange.jpg

O Reino Unido aprovou a extradição de Julian Assange para os EUA. O activista e jornalista australiano poderá (e vai) recorrer desta decisão, contudo, do outro lado do oceano está um rol de acusações escabrosas, montadas pelo poder norte-americano que poderão valer-lhe 175 anos de prisão.

E o que fez Julian Assange de tão errado para se encontrar nesta situação? Apenas fez o seu trabalho de jornalista como muito poucos o fazem nos dias que correm. E daí decorre a forma como a comunicação social ocidental trata este caso. Jornalistas verdadeiramente merecedores de serem considerados como tal, deveriam estar a vociferar contra este ignóbil ataque à liberdade de imprensa. Mas como encontrar um verdadeiro jornalista é, hoje em dia, uma tarefa muito árdua, este assunto passa quase despercebido na imprensa.

Julian Assange mexeu com o poder norte-americano e expôs muitos dos seus crimes de guerra e corrupção. Está a ser perseguido e castigado por esse poder e ignorado pelo quarto poder – dependente do primeiro. E se há casos em que a comunicação social deveria ser corporativista, este é indubitavelmente um deles. Este é o momento de agitar a bandeira da liberdade de imprensa, mas não me parece que haja muita gente interessada nisso. Imaginem qual seria a postura da comunicação social se o país que estivesse a decidir a extradição fosse a China e o país de destino a Rússia. Pois.

alina_lipp.jpg

Entretanto, o governo alemão ameaçou uma jornalista alemã, que se encontra a trabalhar na região do Donbass há cerca de um ano e meio. A jornalista Alina Lipp tem vindo a denunciar as atrocidades cometidas pelo governo de Zelensky e os bombardeamentos constantes que o governo ucraniano tem perpetrado contra a população do Donbass, nos últimos oito anos. Alina Lipp tem desenvolvido o seu trabalho de investigação jornalística junto da população do Donbass e tem dado voz às suas queixas.

Além de ameaçar a jornalista Alina Lipp a uma pena de prisão de três anos, o governo alemão bloqueou a sua conta bancária e a conta bancária de familiares.

Alguém viu a comunicação social ocidental a noticiar este assunto? Alguém os viu a agitar a bandeira da liberdade de imprensa? O bom jornalismo é aquele que se faz a matraquear o conteúdo das missivas enviadas pelos mestres da fantochada. Patéticos.

É este o estado actual da liberdade de expressão e da liberdade de imprensa no mundo ocidental.