Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

RAPIDINHA

A propaganda intensifica-se. As taxas de juro só baixam - e praticamente nada - porque estamos em cima das eleições europeias. Apenas isso.

O imaturo Bugalho e a hipócrita Temido

ps_ad_zelensky.jpg

Sebastião Bugalho – que parece o candidato da AD à presidência da Associação de Estudantes do Colégio Diocesano de Santa Patranha – disse, ontem à noite no debate da RTP, que a visita de Zelensky a Portugal foi um dia de festa para a democracia.

Eu não tenho nenhuma dúvida de que foi mesmo um dia de festa para aqueles que defendem o mesmo conceito de democracia preconizado pelo Sebastião Maria.

Vejamos, Zelensky – um Presidente fora do prazo, uma vez que o seu mandato já expirou e este cancelou a realização de eleições no país – não passa de um fantoche nas mãos dos falcões da guerra de Washington e da OTAN, Zelensky vendeu o seu país ao poder norte-americano e permite que a sua população seja sacrificada e chacinada numa guerra por procuração contra a Rússia. Guerra completamente evitável, mas que Zelensky fez questão de levar para a frente, só para satisfazer os ímpetos bélicos dos falcões ocidentais. Zelensky é também o “líder” de um governo que proíbe o exercício da actividade política a partidos da oposição. Zelensky é “líder” de um governo que manda prender opositores políticos e jornalistas, incluindo jornalistas de nacionalidade norte-americana que acabam por perder a vida na prisão. Zelensky é “líder” de um governo que integrou – muito orgulhosamente – os neonazis na estrutura do exército, da polícia e dos serviços de informação. Zelensky é um “democrata” que condecora nazis no Parlamento ucraniano e que não se farta de permitir a inauguração de praças, avenidas, ruas e estátuas em honra a Stepan Bandera – o maior nazi ucraniano, responsável pela morte de milhares de compatriotas, de judeus e de outras etnias, no período da Segunda Guerra Mundial. Zelensky é, ainda, o “líder” do governo do país mais corrupto da Europa. Portanto, não faltam boas razões para o Sebastião Maria considerar que foi um excelente dia de festa para a sua “democracia”.

Por seu turno, Marta Temido não perdeu a oportunidade para acusar Bugalho de imaturidade. Temido considera que a vinda a Portugal, de um Presidente de um país que está em guerra, para pedir ajuda, não constitui um motivo para festejar.

Ora vejamos, Marta Temido faz de conta que não sabe quem verdadeiramente é Zelensky. Temido considera que Zelensky é um legítimo Presidente de um país, e também ela considera que a Ucrânia é uma democracia, bem à imagem do seu conceito de democracia (o mesmo conceito do Sebastião Maria). Marta Temido e Sebastião Bugalho são farinha do mesmo saco. Pensam (e votam) da mesma maneira em quase tudo, sobretudo em matéria de política europeia. Não havendo nada de significativo que os distinga, há que recorrer a pequenos subterfúgios, na esperança que isso possa fazer a diferença na hora de contar os votos.

Bugalho é, de facto, um imaturo e um farsola, bem à altura de liderar uma candidatura da AD (PSD+CDS). Já Temido é sonsa e hipócrita o suficiente para liderar a candidatura do PS. Ambos espelham na perfeição a essência dos partidos que representam.

1 comentário

Comentar post