Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

RAPIDINHA

O PCP continua a surpreender… Infelizmente, pela negativa

Depois da estúpida medida dos manuais escolares gratuitos para todos, agora é o apoio extraordinário para os desempregados de longa duração.

 

Não deve haver ninguém neste país que defenda a existência de um Estado social que proteja os mais desfavorecidos como eu defendo. No entanto, não consigo perceber por que razão se implementam medidas discriminatórias.

 

Veja-se, a proposta do PCP (aceite pelos socialistas) visa conceder um apoio extraordinário a todos os desempregados que já tenham recebido o subsídio social de desemprego (inicial ou subsequente), por um período adicional de seis meses (o valor deverá oscilar entre os €268,00 e os €335,00 mensais).

 

Então, por que razão ficam de fora os desempregados de longa duração que nunca receberam subsídio de desemprego nem subsídio social de desemprego?

 

Repare-se bem. Existem muitos desempregados, nomeadamente os que trabalharam a recibos verdes, que efectuaram muitos descontos para a Segurança Social, em muitos casos estamos a falar de descontos de montante muito superior a quem, por exemplo, trabalhou por conta de outrem e recebia o salário mínimo, e que nunca tiveram direito a qualquer apoio do Estado. Ou seja, não só não tiveram direito a subsídio de desemprego e subsídio social de desemprego quando ficaram sem trabalho, como também não terão direito a receber este apoio extraordinário.

 

Espanta-me que o PCP não se tenha lembrado daqueles que trabalharam a recibos verdes. Há não muito tempo eram os que mais reclamavam justiça para este tipo de trabalhadores, mas agora que têm algum poder de negociação como o Governo esqueceram-se. Lamentável.

 

Não esquecendo o contributo positivo que têm dado nesta fase inicial da governação socialista, o PCP tem surpreendido, pela negativa, com a apresentação de algumas medidas que não só acentuam as desigualdades, como são claramente discriminatórias.