Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

O PS é o farol da Direita (PSD/CDS)

A Direita portuguesa confina-se aos partidos que constituem a actual coligação do governo de Portugal – o PSD e o CDS. Tal como tenho vindo a salientar em vários dos meus anteriores textos, a Direita em Portugal vive "SEMPRE" em função do Partido Socialista. Quando o PS está no poder fazem-lhe oposição, quando o PS está na oposição fazem-lhe oposição, nas campanhas eleitorais só falam do PS e mesmo depois de apurados os resultados eleitorais voltam a só falar no PS, independentemente dos resultados.

 

Este Domingo à noite, os resultados das eleições europeias foram bastante esclarecedores, os partidos da Direita sofreram uma estrondosa derrota, penso que a maior derrota eleitoral de sempre. Note-se que os partidos da coligação (PSD/CDS) não chegaram sequer a atingir os 30% dos votos. Os restantes votos foram conquistados pelos restantes partidos, que são maioritariamente de Esquerda, ou seja, a Esquerda em Portugal teve mais do dobro dos votos da Direita. Mas as gentes da Direita, como sempre, tentam dissimular as evidências refugiando-se apenas num argumento. E qual é o seu argumento? Pois claro, o mesmo de sempre. Não, não é o Tony Carreira. É o Partido Socialista. As gentes do PSD e CDS vêm logo vociferar que o PS, apesar de ter vencido perdeu, sim, é isso que tentam dizer... É um facto que se compararmos "apenas" os resultados do PS face à coligação, constatamos que a vitória socialista não é muito expressiva. Contudo, foi uma vitória clara do PS sobre a coligação que, parece esquecer-se que concorreu copulada.

 

Mas, a questão deve ir mais fundo, não foram só o PS e a coligação que concorreram às eleições, foram muitos mais os partidos candidatos. E os resultados devem ser analisados no global. E quem tiver a decência de o fazer, facilmente constatará que esta coligação está putrefacta e reduzida a menos de um terço da votação. Mas para tirar essa conclusão é preciso ser-se honesto, ao contrário dos líderes da Direita, ou o ministro da economia ou até mesmo Santana Lopes. Este último veio logo dizer que ficou surpreendido com o facto do PS ter vencido por pouca diferença. Bem, pelo menos deixou claro que ele próprio está consciente do desastre que tem sido esta coligação PSD/CDS e, por essa razão, estava a contar com uma coça maior. Pires de Lima foi mais longe e disse que a coligação pode vencer as eleições legislativas de 2015. Reparem bem, depois de duas valentes pauladas no lombo (eleições autárquicas e europeias), os senhores da coligação "mais que morta", ainda têm a lata de afirmar que podem vencer as eleições em 2015.

 

E porquê? Acho que não me vou cansar de repetir isto. Porque os partidinhos da Direita PSD e CDS) apenas têm olhos para o PS. E como não ficaram muito longe na votação, acham que podem até vencê-los nas próximas eleições. MAS... estão a esquecer-se de um facto muitíssimo importante. É que, mesmo admitindo o cenário idílico de vencerem as próximas eleições legislativas, isso só seria possível com uma votação reduzidíssima (à volta dos 30%) que, mesmo coligados, nunca teriam a hipótese de formar um governo maioritário, tal como acontece agora. Isso está completamente fora de hipótese!

 

Então por que carga de água a coligação deseja vencer as próximas eleições? Sabendo que nunca terá hipóteses de obter mais votos que a Esquerda...

 

A resposta é simples e óbvia. É óbvia porque é a mesma de sempre. A coligação está disposta a vencer as próximas eleições com minoria para, logo de seguida, convidar o PS para formar o chamado "bloco central da governação" (PS + PSD/CDS). Resumindo, o PS é sempre o farol da Direita. É caso para perguntar o que seria da Direita em Portugal se o PS não existisse? Eu acho que se um dia destes outro partido qualquer vencer as eleições, seja a CDU, o MPT ou outro qualquer, a Direita não se incomodará com isso, o importante para eles é que o PS não fique muito longe, porque o PS é o seu único farol.

 

A minha preocupação reside em saber o que pensa o PS sobre este hipotético cenário. É que este cenário irá provavelmente colocar-se no caminho do PS, não pela patética hipotética vitória minoritária da Direita mas pela mais que provável vitória minoritária do PS. O que vai fazer o PS? Coligar-se com a Direita?

 

Seria bom que o PS começasse a esclarecer este ponto, pois é de extrema importância para esclarecer os eleitores e para que estes possam decidir o seu sentido de voto. Para mim, os eleitores têm demonstrado que ainda confiam no PS para assumir a governação, mas com muitas reservas. Portanto, se os eleitores souberem que o PS estará disponível para governar com PSD e eventualmente o CDS, provavelmente não votarão nos socialistas. Muito provavelmente não!

 

É que existem muitas alternativas a estes 3 partidos? Existem pois, isso viu-se ontem, com o resultado da CDU e, em especial, de Marinho PinTo. E existem outros "Marinhos Pintos" por aí, acreditem!