Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

O que Ronaldo quer sei eu

Vamos lá directos ao assunto. O que Ronaldo quer é ser o centro das atenções e, não menos importante, para ele, ser o mais bem pago.

 

No passado Sábado, o Real Madrid venceu a 13.ª Liga dos Campeões. E o que fez Ronaldo? O CR7 decidiu insinuar que estava de saída do clube. E porquê? Pelas mesmas razões de sempre, as que referi anteriormente, ou seja, ser o centro das atenções e dinheiro.

 

Ronaldo está em negociações salariais com o Real Madrid e, então, decidiu aproveitar a ocasião para ameaçar com uma possível saída do clube, caso não seja satisfeita a sua vontade. É óbvio que Ronaldo não sairá de Madrid. Sair para onde? Até pode haver quem lhe pague mais, mas não há clube onde possa conquistar mais títulos do que o Real Madrid. Isto porque os clubes, as equipas são sempre mais importantes e mais fortes do que os valores individuais.

 

Ronaldo foi deselegante e até desrespeitoso para com o clube, quando num momento de celebração aproveitou para, como quase sempre, chamar as atenções sobre si e os seus intentos. Ronaldo até parecia nem estar muito feliz com a conquista da “Champions”, talvez porque não marcou nenhum golo e teve que ver o seu colega Gareth Bale ser considerado o homem do jogo, marcar dois golos, um dos quais “à Ronaldo” dizem por aí, talvez porque o CR7 tenha sido o primeiro jogador da história do futebol a marcar um “golo de bicicleta”.

 

Como também devem ter notado, o Ronaldo não se dirigiu efusivamente para junto dos seus companheiros de equipa que marcaram os golos, para os felicitar. Aliás, o Ronaldo raramente o faz. Talvez porque entenda que ele é que tem que marcar os golos e que só quem marca golos é que é bom.

 

Ronaldo também disse que a “Champions League” deveria passar a chamar-se “CR7 Champions League”. Humilde o rapaz. Não é nada pretensioso. Mais tarde, na festa com os adeptos em Madrid, também fez um discurso paternalista para com os seus colegas de equipa, como quem estava a repartir com os demais, os despojos de uma batalha que só ele venceu.

 

Ronaldo é assim, o mesmo que perante um grupo de crianças que o idolatram e sonham vir a ser como ele, lhes diz: “Ronaldo só há um e nunca ninguém lhe chegará perto”.

 

Os melhores do mundo são mesmo muito especiais.