Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Os bons mexem-se bem

António Mexia integrou o governo liderado por Santana Lopes, onde foi Ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações. Recordemos que foi precisamente na governação laranja que se deu a liberalização do mercado de electricidade, bem como os procedimentos administrativos relativos à introdução dos Custos para Manutenção do Equilíbrio Contratual (os CMECs).

 

Convém, então, relembrar que os CMECs provêm de legislação criada em 2004. Curiosamente, nessa altura, António Mexia mexia os cordelinhos do lado do governo, onde se produziu legislação à medida da EDP. Pouco depois, Mexia rumou à EDP, à velocidade de um relâmpago, onde permanece até hoje, no topo da administração. Mexia pode gabar-se de ter conseguido, em 10 anos, arrecadar cerca de 2,5 mil milhões de euros devido à legislação feita à medida pelo governo que o próprio integrou.

 

Para mim fica claro que, quando Mexia sustenta que a legislação sobre os CMECs é de 2004 e não decorre de alterações subsequentes, para tentar justificar que as rendas não são excessivas, Mexia está apenas a confirmar o óbvio, ou seja, que quem semeou de um lado é o mesmo que foi colher do outro.

 

Mexia tem razão quando diz que o que está a ser investigado agora, no caso Manuel Pinho, nada tem a ver com a EDP. Só lhe fica bem não confundir as instituições com as pessoas que as gerem.