Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Os bons negócios públicos incomodam este governo

A posição do actual governo face à compra das transmissões dos jogos da Liga dos Campeões, levada a cabo pelo actual Conselho de Administração da RTP, é mais uma prova evidente da forma como os governos de Direita lidam com a coisa pública.

 

Convém recordar que o actual Conselho de Administração da RTP foi escolhido por este governo. Ainda se lembram de Miguel Relvas? Pois... foi pela mão desse senhor. Mas, parece que o ministro Poiares Maduro é doutra opinião e já se viu que não vai descansar até fazer cair a actual direcção. Maduro desde logo demonstrou a sua visão sobre a RTP e o serviço público, ou seja, da mesma forma como este governo, no seu todo, entende o serviço público em qualquer área. Para este governo, serviço público é colocar os dinheiros públicos na mão de privados, é pagar salários a pessoas que trabalham para privados, é vender empresas públicas a amigos, etc.

 

Importa ainda lembrar que em Setembro deste ano, este governo e Poiares Maduro criaram o CGI - Conselho Geral Independente da RTP. E do que se trata? Trata-se de mais um braço armado do governo, para dizer o que a RTP deve ou não fazer. Portanto, desde essa altura que o Conselho de Administração da RTP deixou de ter condições para gerir a empresa. E porque razão quer este governo mandar no Conselho de Administração da RTP? Será para poder acabar com a RTP2? Ou até mesmo com a própria RTP? Será para poder efectuar mais um despedimento colectivo? Ou será apenas uma vingançazinha do ministro Pires de Lima?

 

Não me parece que isto faça muito sentido, a não ser a questão dos despedimentos que, nalguns casos se justificaria. Toda a gente sabe que a RTP é um sorvedouro salarial e muita gentinha que lá "faz que trabalha" deveria desaparecer.

 

Mas a questão que vem agora ao lume não é essa, mas sim o facto da RTP querer transmitir os jogos da Liga dos Campeões. Trata-se de uma simples opção de gestão. É isso que está a irritar este governo. E porquê?

 

Vejamos, a RTP até tem vindo a apresentar resultados positivos e, segundo garante o Presidente do Conselho de Administração, o negócio irá gerar receitas para a empresa, na ordem dos 800 mil euros ao ano. Portanto, é um negócio que dará lucro. E isso já constitui motivo suficiente para desagradar este governo, que não lida nada bem com empresas públicas e/ou negócios públicos que dêem lucro. E nunca é demais salientar que as empresas públicas não têm como finalidade o lucro, sendo certo que também não devem dar prejuízo.

 

Mais, ninguém deve esquecer que a RTP concorre directamente com os canais privados SIC e TVI (ATENÇÃO: privados mas com muitos favores e euros públicos) e, tem que apresentar uma tabela programativa competitiva. Toda a gente já percebeu que, quer se goste ou não, os jogos da Liga dos Campeões geram muita audiência.

 

Portanto, é incompreensível que o governo esteja tão preocupado e contra esta decisão do Conselho de Administração da RTP. Houve uma decisão que não só não trará prejuízo à estação pública, como trará lucro, uma decisão que aumentará as audiências da estação e isso incomóda muito o governo de Passos e Portas. Porque será?

 

Se calhar é porque a RTP conseguiu fechar um negócio que muito interessava aos dois concorrentes privados, tão amigos deste governo

 

Concluindo, este governo está muito chateado porque não conseguiu impedir que um bom negócio não fosse parar às mãos dos seus amigalhaços privados. Esta é mais uma prova que põe a nu as verdadeiras intenções destes vulgachos que ocupam os lugares governativos, que não é mais do que agir em prol dos interesses privados dos seus amigos.