Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

RAPIDINHA

“Stalin assinava um acordo secreto com Hitler. Nove dias depois, começava a II Guerra Mundial”. São os FdP (Fanáticos da Propaganda), uma vez mais, prostrados de quatro e levar com os bacamartes de Washington e a latir a sua propaganda. É verdade que Estaline assinou um acordo com Hitler, em Agosto de 1939. Mas em que consistiu esse acordo? E já que falam na II Guerra Mundial, como é que ela acabou? Não me digam que foi com o desembarque na Normandia… Ah! Os heróis da Normandia!

Os merdalhas da comunicação social

três_seguidas.jpg

Primeiro destaque: “os foguetes disparados de Gaza” que - segundo os merdosos que escrevinharam a notícia - “aumentam tensão israelo-palestiniana”. Portanto, os culpados pelo conflito israelo-árabe na Palestina são os palestinianos. O governo fascista e genocida de Israel apenas responde às provocações. Coitadinhos! Eles estão sempre tranquilos no seu cantinho pacífico e os palestinianos – esses provocadores - é que vão lá meter-se com eles. Eles têm que se defender, não é verdade? É assim que a comunicação social de confiança transmite – desde sempre – a ocupação israelita e a sua sórdida tentativa de aniquilação do povo palestiniano.

Segundo destaque: a sabotagem aos gasodutos Nord Stream. A narrativa continua a ser a de que não se sabe quem foram os sabotadores e, provavelmente nunca se vai saber. Toda a gente está farta de saber quem foram os responsáveis por este ataque de terrorismo económico – o maior de sempre em todo o espaço económico europeu. O facto de a ONU ter chumbado uma investigação total e isenta aos ataques perpetrados contra os gasodutos são pormenores que não interessam. O facto de a União Europeia e, sobretudo a Alemanha não estarem interessados em apurar a responsabilidade até às últimas consequências, também não interessa muito. Aquilo que verdadeiramente importa é continuar a propagandear narrativas falsas sobre o assunto, para desviar as atenções do verdadeiro problema - o facto de aquele que é considerado como o principal “aliado” da Europa ser aquele que a subjuga e a destrói, a seu bel-prazer.  

Terceiro destaque: a rede social TikTok. Como não poderia deixar de ser, depois de Washington ter dado início a uma campanha de demonização da China, só poderíamos ver a comunicação social a propagar a cartilha do poder norte-americano. Agora, o visado é o TikTok – essa coisa muito perigosa que vai destruir a vida de toda a gente, a começar logo pelas crianças e adolescentes. Segundo os histéricos da comunicação social ocidental, o TikTok é perigoso porque obtém informações dos seus utilizadores e partilha-as com outras entidades, sobretudo o Estado chinês. O quê? Como é possível atreverem-se a fazer uma coisa dessas? Vê-se logo que são chineses. O Facebook, o Twitter, o Instagram, o Whatsapp, entre outros, não fazem nada disso. São empresas de uma confiabilidade inquestionável que, não só não acedem aos dados dos seus utilizadores, como nunca os partilhariam com qualquer outra entidade, muito menos o Estado norte-americano. Os escândalos “Cambridge Analytica” ou os “Twitter Files” foram apenas mais duas teorias da conspiração fabricadas pelos russos ou coisa parecida. O escândalo “Cambridge Analytica” ainda chegou a ser noticiado (foi há quase 10 anos), já os “Twitter Files” (algo muito recente) não foram objecto de uma única linha por parte dos bons “jornalistas” que depravam todo o espaço da comunicação social.

5 comentários

Comentar post