Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

“Overbooking” de vacinas não é estratégia, muito menos inteligente

O senhor vice-almirante Gouveia e Melo considera que convocar pessoas para serem vacinadas acima da disponibilidade diária é uma estratégia inteligente para colmatar a não comparência de algumas pessoas.

O coordenador da task force disse que quando convoca 100 pessoas para o processo de vacinação, por SMS, cerca de 25 não responde ao SMS, pelo que tem que encontrar uma solução – que ele considera inteligente – para preencher as vagas. E ainda sustenta que “enquanto houver portugueses a quererem ser vacinados, quem não responder não cria problemas”.

Gouveia e Melo disse que 25% não responde ao SMS, pelo que por cada 100 vacinas disponíveis, ele convoca 130 pessoas, porque assim garante que aparecem 100. Eu fiz as contas e acho que mesmo assim não vão aparecer as 100 pessoas…

Bem, mas que grande lata a do senhor vice-almirante. Então as pessoas que não respondem ou, muito provavelmente, até respondem, mas de forma errada, estão a criar problemas ao senhor coordenador? O senhor vice-almirante deveria saber que é sua obrigação encontrar, de facto, soluções inteligentes. E, por essa razão, deveria começar por questionar por que razão as pessoas não respondem. Será que os contactos telefónicos dessas pessoas estão actualizados? Será que essas pessoas sabem ler SMS? Será que sabem responder a SMS?

Qualquer pessoa minimamente esclarecida sabe que as pessoas mais idosas (não exclusivamente) têm maior dificuldade em lidar com o serviço de mensagens escritas, razão pela qual a task force deveria certificar-se de que essas pessoas realmente tomaram conhecimento da convocatória. Como? Não sei… ora deixa cá ver… assim de repente… talvez por chamada telefónica, por carta, por intermédio dos serviços das Unidades de Saúde Familiar, juntas de freguesia…

A verdade é que, neste momento, já se está a vacinar pessoas com idade a partir dos 50 anos, sendo que dentro de poucos dias também os maiores de 40 e 30 anos vão começar a ser vacinados, contudo, muitos daqueles aos quais a vacinação é mais necessária continuam à espera. E não, senhor vice-almirante, não é por não quererem ser vacinados ou por desejarem criar-lhe problemas. A sua falta de competência para enxergar o óbvio é que está a fazer com que milhares de pessoas com mais de 60, 70 e até 80 anos continuem em lista de espera.

Vá lá senhor vice-almirante, seja um bocadinho menos inteligente e trate de contactar atempadamente as pessoas pelas vias que lhes são mais convenientes. E não apenas pela forma que mais convém a si e à sua equipa.

2 comentários

Comentar post