Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

PS: um partido oficialmente de Direita

cs3.jpg

O Partido Socialista (PS) nunca foi verdadeiramente socialista e também nunca foi verdadeiramente de Esquerda. Ora gingou para um lado, ora para o outro, sendo sempre muito competente na arte do contorcionismo político.

Há quem ache que o PS é um partido do centro, o problema é que isso, em política, simplesmente não existe. Os partidos são de Esquerda ou de Direita, essa treta de se encontrar ao centro não é mais do que uma estratégia de quem gosta de atacar nas duas frentes, com o objectivo claro de engodar o povo e colher mais votos.

O actual PS está oficialmente à Direita. Agora não há qualquer margem para dúvidas. Há quem diga que o PS deveria ter apoiado um candidato à Presidência da República que pertencesse à sua área política e todos acham que o esse apoio deveria ter caído sobre a candidata Ana Gomes, uma ilustre militante do Partido Socialista.

Só que nas cabeças de António Costa (o secretário-geral), de Carlos César (o Presidente), Ferro Rodrigues (a segunda figura do Estado) e outros barões que controlam o partido, o PS é um partido de Direita há muito tempo e, por essa razão, decidiram apoiar o candidato da Direita “tradicional”.

Seria bom que todos os militantes do Partido Socialista que ainda se consideram de Esquerda tratassem de arrumar a casa, caso contrário serão arrastados para o pântano político, onde António Costa e companhia desejam atolar o partido.

Aquilo que se passou no Domingo à noite deveria envergonhar António Costa, ao ponto de nunca mais querer sair de casa. Enquanto líder do partido com maior representação parlamentar e chefe do governo tinha a obrigação de fazer uma comunicação ao país, quanto mais não fosse para agradecer aos portugueses, pela forma como se comportaram neste acto eleitoral que nem sequer deveria ter existido.

Não. Costa não teve coragem para se apresentar perante os portugueses. Por estes dias, Costa só fala país quando é para empurrar as culpas da sua inoperância para cima dos portugueses. Que António Costa se acobarde e não consiga estar à altura das suas responsabilidades já vai sendo normal, agora ter mandado o seu cão de montaria falar aos portugueses, com aquele ar de regozijo, não só constituiu uma falta de consideração para com os portugueses, como foi uma total falta de respeito para com os militantes e simpatizantes que ainda acham que o PS é de Esquerda.

António Costa deve estar a pensar que foi um dos vencedores da noite eleitoral, tal como muitos atestaram. Está redondamente enganado. Costa foi um dos maiores derrotados da noite, senão mesmo o maior, só que isso só se vai confirmar mais tarde. Costa perdeu oficial e definitivamente uma importante base de suporte do seu partido, já que, Ana Gomes, não tendo um resultado excepcional é, agora, detentora de um significativo capital de apoio dentro do Partido Socialista. E, tal como todos os políticos sabem ou deveriam saber, o poder começa a ruir por dentro. E nem o facto de António Costa ter levado o PS definitivamente para a Direita, o vai livrar do inevitável.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.