Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Quantas tromboses ocorreram nas outras vacinas?

Esta é a pergunta que ainda ninguém fez e para a qual ainda não encontrei resposta. Desde segunda-feira à noite que muitos especialistas se desmultiplicaram em inúmeras entrevistas, nos mais diversos órgãos de comunicação social. Todos empenhados na entrega da mesma missiva, recorrendo aos mesmos argumentos e salientando a mesma justificação para atestar a segurança da vacina da AstraZeneca. E nenhum jornalista foi capaz de lhes fazer a pergunta que se impõe.

A propósito das dúvidas sobre a segurança da vacina da AstraZeneca, cuja administração se encontra interrompida em vários países, foram mesmo muitos os especialistas na matéria que se apressaram a garantir que não há razões para alarme, usando como principal argumento o facto de o número de tromboembolias verificadas ser inferior ao número de tromboembolias que habitualmente se verifica em pessoas não vacinadas, tomando por base o mesmo período de tempo. E, por essa razão, atestam que não existe nexo de causalidade.

Eu não tenho acesso a esses números, pelo que dou como verdadeiro aquilo que disseram os especialistas. Contudo, há uma outra variável que importa – e muito – juntar à equação, que é a de saber quantas pessoas sofreram tromboses depois de “tomar” qualquer outra vacina, que não a da AstraZeneca.

Seguindo o raciocínio dos especialistas é de esperar que também tenham ocorridos casos semelhantes nas pessoas a quem foi administrada qualquer outra vacina, na mesma proporção. Caso contrário, o principal argumento usado pelos especialistas fica coxo. Portanto, ocorreram ou não casos de tromboses após a administração das outras vacinas?

Se não ocorreram é legítimo considerar-se que, provavelmente, existe correlação entre a aplicação da vacina da AstraZeneca e as tromboses observadas subsequentemente. Por outro lado, se ocorreram casos semelhantes também após a aplicação das outras vacinas, então também essas teriam que estar suspensas. Ou então, nenhuma delas (AstraZeneca incluída) deveria estar suspensa.

Não creio que alguém esteja interessado em fazer perseguição à AstraZeneca.