Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Quem quer casar com a operadora?

phone.jpg

 

Apritel é a associação que representa as operadoras Nos, Meo e Vodafone. Na verdade, eu nem sabia que existia uma associação que representa estas 3 grandes empresas, que fazem “muita concorrência” entre si.

 

Todos sabemos que estas 3 empresas apresentam o mesmo nível de serviços, basicamente, ao mesmo preço. E que bem que elas se entendem. Mais uma razão para eu achar que não faz sentido haver uma associação que as represente. Mas há. É a Apritel que, por acaso, até rima com cartel. Não se pode dizer que a escolha do nome é infeliz.

 

Entretanto, hoje, discutir-se-á na Assembleia da República algumas propostas que visam reduzir o período de fidelização, em vigor nestas empresas, de dois para um ano ou 6 meses. É óbvio que as propostas, apresentadas pelo PAN e pelo BE, correspondem às exigências dos consumidores. Contudo, a Apritel discorda (quem diria?), alegando que o período de fidelização de 24 meses favorece os clientes. Dizem que o período de fidelização mais longo permite diluir os custos de instalação do serviço, equipamentos, blá-blá-blá, blá-blá-blá.

 

Muito bem. No seguimento daquilo que defende a Apritel, que rima com cartel (não sei se já disse isto), eu tenho uma nova proposta, muito melhor do que as do PAN e do BE, e que vai mesmo ao encontro da lógica mercantilista destas 3 empresas. Ora, se quanto maior o período de fidelização, melhor para os clientes, porque permite a diluição de custos, eu proponho períodos de fidelização ad aeternum. Se calhar, a páginas tantas, as operadoras ainda passam a pagar aos clientes. Que tal? É o casamento perfeito.