Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

SNS em morte lenta

Está a passar-se algo de muito grave em Portugal. Algo que é suficientemente plausível de originar um revolução que eliminasse o bando de criminosos que governam este país. Sim. Criminosos! Criminosos e mentirosos!

 

O maior crime deste governo (porque são vários) é o cerrado ataque ao Serviço Nacional de Saúde. Este é o mais preocupante! Já no início deste ano escrevi aqui sobre o assunto (ver Somos todos pelo SNS?). O que tem vindo a acontecer é um autêntico assassinato do SNS. Trata-se de uma estratégia lenta (para não exaltar demasiado as hostes), mas com uma eficácia letal. O tempo da gripe severa já lá vai, mas o caos nas urgências continua, só não passa na televisão, que agora se encontram mais ocupadas com a venda da TAP (outro assassinato), o Jorge Jesus, o Rui Vitória, etc. Mas quem passa pelos hospitais públicos pode facilmente constatar os excessivos tempos de espera, a falta de pessoal médico, de camas, de pessoal auxiliar, de medicamentos, enfim, o habitual desde que este governo encetou a sua nojenta estratégia de liquidação do SNS.

 

Recordemos que nunca os utentes pagaram tanto de taxas moderadoras como agora, nunca se descontou tanto como agora, nunca se cortou tanto nos apoios sociais como agora e, no entanto, há cada vez mais pessoas sem dinheiro para comprar os medicamentos necessários para a sobrevivência e a rede de cuidados continuados serve para muito pouco, porque este governo quer que assim seja

 

E hoje, aquele boçal do secretário de estado da saúde veio dizer que não houve impacto negativo das políticas deste governo no sector da saúde. Ainda se atreve a dizer que as coisas melhoraram. Isto é chacotear os portugueses! Já o ministro da saúde havia dito recentemente que não houve cortes cegos na saúde, que afirmar isso é uma tolice. Claro que é! Os cortes efectuados não têm nada de cegos. Foram e são cortes cirurgicamente incisivos, tal como planeado. Isto é trabalho de mercenários que enxergam muito bem e que nunca erram o alvo.

 

O ministro da Segurança Social também disse hoje que a "lista de doenças" vai deixar de existir. Estamos a falar de doenças altamente incapacitantes, que o ministro entende não bastar a pessoa ter uma doença incapacitante, é preciso demonstrar (aos deles) que está incapacitado. Ou seja, uma pessoa pode ter um cancro ou uma doença degenerativa que isso não significa que vá ter qualquer apoio dos Estado, só se for "realmente" incapacitante. E quem vai avaliar a incapacidade? Alguém que será instruído e coagido a cumprir a estratégia deste governo. O ministro da lambreta e o seu governo devem achar que incapacitante é quando alguém deixa de respirar. Isto é mais um crime!

 

O ministro devia também implementar o contrário, isto é, se por um lado entende que não basta ter uma doença incapacitante para ser-se considerado incapacitado, também não deveria ser exigido provar-se que se tem uma doença incapacitante para ser considerado incapacitado, porque existem muitos incapacitados sem doença diagnosticada. Neste caso, Mota Soares receberia uma fortuna em apoios do Estado. Muito mais do que já recebe... o Audi de 80 mil euros que nós lhe oferecemos não seria nada comparado com o que teria direito.

 

A verdade é que continuam a morrer milhares de pessoas por falta de apoios sociais e cuidados de saúde. Repito! Morrem muitas pessoas em Portugal por culpa das políticas deste governo. Tudo isto num país que "está no caminho certo", que "está a crescer", que "tem os cofres cheios". Não é isto que nos tentam vender?

 

Este governo é assassino e mentiroso! Chateia-me profundamente que nada aconteça para pôr termo a estes malandros!