Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Cristas e a qualidade natural para deturpar

09.05.19 | contrário | comentar
Assunção Cristas veio defender Nuno Melo, eurodeputado do CDS, alegando que o cabeça-de-lista do CDS ao Parlamento Europeu não defendeu que o partido espanhol Vox deveria entrar para o grupo do Partido Popular Europeu (PPE). Cristas veio dizer que Melo disse que “o (...)

Outro lapso de memória de Assunção Cristas

15.04.19 | contrário | comentar
Assunção Cristas criticou o facto de o actual governo ainda não ter avançado com a construção do novo aeroporto, sustentando que “falta o estudo de impacte ambiental que já deveria ter sido feito há quatro anos”.   Ora, convém lembrar a xô dona Cristas que, (...)

“Mesquita” judaica

06.04.19 | contrário | ver comentários (1)
Quem passa por aqui já deve ter notado que aprecio títulos com trocadilhos. É que, não raras vezes, torna-se impossível não cair nessa tentação. Como não fazer um trocadilho com o nome de Adolfo “Mesquita” Nunes, quando este defende a opressão e os crimes (...)

Esta moção de censura do CDS não é ao Governo

16.02.19 | contrário | comentar
Desengane-se quem achar que a moção de censura apresentada pelo CDS é dirigida ao Governo, tal como seria suposto. Esta moção de censura do CDS é um mero e conspurcado acto de politiquice, que tem como objectivo capital atingir o seu habitual companheiro de rambóia (...)

Rangel, Melo e os tachos europeus

12.02.19 | contrário | comentar
Paulo Rangel é o cabeça-de-lista do PSD às eleições para o Parlamento Europeu, já Nuno Melo encabeçará a lista do CDS. Ambos já se encontram em campanha e a principal causa das duas candidaturas, para já, é a provável escolha que o PS fará para encabeçar a sua (...)

Álvaro calou-se, mas não para sempre…

08.02.19 | contrário | comentar
Álvaro Santos Pereira, antigo ministro da Economia do governo PSD/CDS de Passos e Portas disse, numa comissão parlamentar, que “as rendas excessivas da energia estão relacionadas com o compadrio entre o Estado e os privados”. A sério? Desta nem La Palice se lembraria…