Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

RAPIDINHA

“Stalin assinava um acordo secreto com Hitler. Nove dias depois, começava a II Guerra Mundial”. São os FdP (Fanáticos da Propaganda), uma vez mais, prostrados de quatro e levar com os bacamartes de Washington e a latir a sua propaganda. É verdade que Estaline assinou um acordo com Hitler, em Agosto de 1939. Mas em que consistiu esse acordo? E já que falam na II Guerra Mundial, como é que ela acabou? Não me digam que foi com o desembarque na Normandia… Ah! Os heróis da Normandia!

Taras e manias

sondagem.jpg

Tomando por boa a última sondagem sobre as intenções de voto dos portugueses, facilmente se constata que o eleitor “típico” português é um verdadeiro caso de estudo. Ora, como se pode ver, a estimativa de resultados eleitorais demonstra que 60% dos portugueses – esmagadora maioria – tem intenção de votar nos mesmos de sempre, ou seja, no PS e no PSD/CDS: aqueles que governaram Portugal nos últimos 50 anos. O famigerado "bloco central".

Dizem que, em Portugal, a maioria dos eleitores são de esquerda. E, de facto, se tivermos em linha de conta aquilo que a maioria das pessoas reclama no dia-a-dia, logo se conclui que a maioria dos portugueses parece ser mesmo de esquerda. E, se nos recordarmos que várias sondagens recentes demonstram que a maioria dos portugueses considerou que o governo do quadriénio 2015-2019 (“geringonça”) foi – de longe – o melhor deste século, mais razões teremos para acreditar que a maioria dos portugueses é tendencialmente de esquerda.

Contudo, esta sondagem mostra que apenas 8% dos portugueses pretende votar em partidos de esquerda (CDU e BE). Não me venham com essa treta de que o PS é de esquerda, porque não é. O PS vai cumprindo alguma agenda de esquerda, apenas para manter o povo na ilusão de que são de esquerda, mas que só concretizou medidas de esquerda com alcance satisfatório, quando esteve dependente do apoio da CDU e do BE, portanto, no período 2015-2019 – curiosamente, aquele que foi considerado pela maioria dos portugueses como o melhor período da governação nos últimos 25 anos. E quanto ao Livre, bem, como já tenho referido, o sonho do Livre é estar para o PS, como o CDS está para o PSD.

E é isto. A maioria diz-se de esquerda e diz que a melhor legislatura foi aquela que teve a CDU e o BE com poder de negociação na governação. No entanto, é a mesma maioria que não consegue deixar esse vício de votar no PS e no PSD/CDS, deixando apenas 8% dos votos para os partidos de esquerda. Taras e manias.