Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Tony Carreira comeu os franceses de cebolada

Tony Carreira foi condecorado pelo governo francês com o título de Cavaleiro da Ordem das Artes e das Letras. Tony Carreira nunca havia recebido nenhuma distinção do género naquele país, nem mesmo em Portugal, o seu país. Tony Carreira, ao que parece, não ficou totalmente satisfeito com a condecoração dos franceses e apressou-se a criticar os governantes portugueses por nunca o terem distinguido e, furioso com o facto de ninguém ter dado importância ao facto dos franceses o reconhecerem, tratou de criar uma polémica (que o próprio deveria evitar) à volta desta situação, com a esperança que se falasse dele e do seu galardão em Portugal. Conseguiu. A comunicação social, que sempre esteve de mãos dadas com ele tratou de conferir a dose de enfase necessária. Portugal é mesmo um país muito peculiar em determinadas áreas, os farsolas são os grandes protegidos dos “média”. É assim em relação à música, à política, ao desporto, etc.

 

Tony Carreira ficou muito desapontado com o comportamento do embaixador de Portugal em França, por este não ter aceitado o seu pedido para que a cerimónia de condecoração decorresse na embaixada de Portugal em Paris. Devo dizer que o embaixador esteve muito bem na sua decisão. Trata-se de uma distinção conferida pelo governo francês, pelo que o “artista” tem feito em França, por que razão a cerimónia haveria de ocorrer na embaixada de Portugal? Isto nada tem a ver com Portugal e o povo português, tem a ver com a visão dos governantes franceses nesta matéria e a vida de um cidadão português em França, nada mais. É claro que a cerimónia não tinha que ser feita na embaixada de Portugal e o Tony Carreira sabe isso, porque não é estúpido.

 

Contudo, dá muito jeito a Tony Carreira criar, neste preciso momento, uma polémica à volta do seu nome, já que acaba de lançar um novo álbum e todos sabemos que estes mexericos ajudam a vender mais… Et comment!

 

Outro motivo que levou o Tony a manifestar-se foi esse estado de alma que tanto caracteriza o portuguesito. O portuguesito é, à semelhança do seu país, um indivíduo muito peculiar. Pode estar no topo do mundo, mas se não é reconhecido no bairro onde nasceu, se não tem uma rua com o seu nome ou uma estátua na praça da terrinha, continua a ser um pobre insatisfeito.

 

O Tony devia era estar caladinho, porque apesar da mega operação de lavagem da sua imagem há alguns anos atrás (levada a cabo pela comunicação social), aquando do seu desmascaramento enquanto “artista”, a verdade é que nada pode apagar aquilo que está gravado e registado para a posteridade: Tony Carreira é uma farsa. Um ladrãozeco de canções. São letras roubadas, algumas delas copiadas na íntegra, palavra por palavra, são melodias plagiadas e, às vezes, as duas coisas em simultâneo. Toda a gente se lembra disto e todos sabemos que isto é a verdade nua e crua da carreira de Tony Carreira. Por estas razões, Tony Carreira deveria estar quietinho no seu canto e deixar-se passar pelos pingos da chuva, tal como tem feito e, diga-se, não se tem saído nada mal. E mais, o melhor de tudo é que até conseguiu engrupir os franceses, esses eruditos da cultura.

 

Mas o Tony é bom rapaz e, lá no fundo, ele até merece uma condecoração do Estado Português. Eu proponho que lhe seja atribuído o título de Cavaleiro da Ordem da Arte de plagiar Letras e Melodias.

 

Parabéns Tony! Comeste-os de cebolada.