Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Um descontão pode ser uma complicação

O Benfica venceu o Estoril, na Amoreira, com um golo de Salvio no período de descontos (aos 92 minutos). O árbitro da partida, Hugo Miguel, entendeu dar 7 minutos de compensação, os chamados “minutos de desconto”. Nada justifica que o árbitro tenha concedido tamanho descontão, 3 ou 4 minutos seriam mais do que suficientes para compensar o “tempo perdido”.

 

A questão dos descontos tem vindo a assumir muita importância nesta presente temporada futebolística. Há até equipas que conquistaram os 3 pontos bem para lá do tempo de descontos.

 

Voltando ao descontão da partida Estoril-Benfica, verificou-se que o Benfica necessitou apenas de 2 minutos para conseguir o golo da vitória, pelo que deixo aqui um alerta aos árbitros para que tenham muita atenção aquando da atribuição dos minutos de compensação. Aquilo que pode parecer o tempo “mais adequado” pode tornar-se numa grande complicação, caso o golo surja rapidamente. Ou seja, se o árbitro Hugo Miguel tivesse dado apenas 3 minutos, o que faria muito mais sentido, o jogo teria terminado pouco depois do golo da vitória do Benfica. Perfeito. Como o árbitro concedeu 7 minutos, o Estoril ainda teve tempo para voltar a empatar a partida, algo que não veio a acontecer. Contudo, importa salientar que após o golo de Salvio, o jogo esteve interrompido cerca de 3 minutos, sendo que Hugo Miguel, desta feita, só concedeu 1 minuto de compensação, vá se lá saber porquê…

 

Portanto, se o período de descontos se mostrar excessivo face ao objectivo pretendido, o melhor é matar o restante tempo de descontos, não vá o diabo tecê-las.