Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Vamos lá acabar com “o Covid”

Estamos todos fartos do Covid, não estamos? Então, vamos lá acabar de uma vez por todas com “o Covid” e passar a dizer “a Covid” ou “a Covid-19”, porque assim é que está correcto.

Covid é o acrónimo de corona virus disease, daí advém que Covid-19 representa o nome da doença ("disease", em inglês) causada pelo novo coronavírus (do final de 2019) que - como também já estamos fartinhos de saber - chama-se SARS-CoV2. Então, diz-se “o SARS-CoV2” e “a Covid-19”. Ninguém diz “o tuberculose” ou “a sarampo”, pois não? Ou, melhor ainda, ninguém diz "o NATO", "o ONU", "o NASA" ou "a FMI", certo? Pronto, vamos lá então acabar com “o Covid”, porque já lá vão quase 20 meses e eu começo a ficar um bocado aborrecido. Se bem que também há o lado jocoso da coisa, que se prende com o facto de os (e as) activistas pela não masculinização da linguagem dizerem, com muita frequência, “o Covid”.

Convinha também que os senhores jornalistas passassem a pronunciar “Covid-19” correctamente, ou seja, “covid[e]dezanove” e não “covidezanove”. Pode parecer um pormenor, mas não é, sobretudo se pensarmos que muito provavelmente é por essa razão que muita gente diz “o Covi”, sendo que neste caso já se aceita o artigo no masculino.