Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Ventura vencerá sempre neste tema

Há um tema em que o André Ventura vence sempre. Trata-se da necessidade de rever e alterar o código penal. E por que razão Ventura vence neste tema? Porque os políticos que estão e estiveram no poder criaram as condições para que qualquer um se aventurasse numa cavalgada populista assente em apenas um ou outro ponto que faz sentido.

Nenhum cidadão com o mínimo sentido de justiça (e não estamos a falar de justiça divina), consegue compreender a razão pela qual a sociedade/Estado se deve compadecer para com todos aqueles que cometem crimes graves, ou seja, crimes com recurso à violência extrema e que atentam contra a vida. Pior ainda, como é possível existir uma pena máxima de apenas 25 anos? Portanto, um indivíduo que tire a vida a outro indivíduo pode incorrer, no máximo, a uma pena de 25 anos. E um indivíduo que assassine 50, 100, 1000 ou mais pessoas incorre na mesma pena. Isto faz algum sentido?

Outro exemplo. São inúmeros os casos de pedófilos condenados a penas de prisão efectiva com a duração de três, quatro ou cinco anos, sendo que alguns nem sequer chegam a cumprir a pena. Por outro lado, há indivíduos condenados a 15 ou mais anos de prisão por prática de crimes económicos.

E depois, ouvimos da boca dos políticos que estão no poder - tal como ouvimos, ontem, Marcelo Rebelo de Sousa – dizerem coisas do tipo: “nós temos que ser humanistas”, “nós temos que reintegrar essas pessoas na sociedade”, “essas pessoas merecem uma segunda oportunidade”, ou então, ainda mais ridiculamente: “ah… eu sou católico e, de vez em quando, até vou à missa e, por essa razão, sinto-me na obrigação de perdoar, senão vou pró inferno”.

Portanto, para a esmagadora maioria dos políticos (do presente e do passado), o Estado e a sociedade devem ter uma atitude humanista para com quem demonstrou não ter qualquer pingo de humanismo.

Eu pergunto a cada político e a cada cidadão, se consideram justa uma pena de prisão máxima de 25 anos a quem tenha raptado, violado, espancado até à morte o seu filho ou filha, o seu neto ou a sua neta. E se consideram que esta pessoa merece ser perdoada e reintegrada na sociedade. E, já agora, que multipliquem estes crimes pelo número de vezes que a sua imaginação lhes permitir e se, mesmo assim, ainda consideram os 25 anos mais do que suficiente para se permitir que o criminoso volte à sua vidinha social.

É muito bonito dizer-se que se é humanista, mesmo para com quem demonstrou não ter qualquer respeito pela vida dos outros. É bonito e dá votos. Ou seja, neste tema, o populista é Marcelo Rebelo de Sousa (e todos os que pensam igual). Ele já viveu o suficiente para perceber que este discurso de sacristia ainda é o que rende mais votos.

E é por isso que a culpa do surgimento de políticos populistas como André Ventura se deve exclusivamente às más políticas implementadas ao logo de décadas, pelos políticos que dizem combater o populismo. Se não tivessem sido populistas e se tivessem legislado de uma forma mais consistente com a realidade, as estapafúrdias ideias de André Ventura não teriam qualquer aderência.

19 comentários

Comentar post