Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

Contrário

oposto | discordante | inverso | reverso | avesso | antagónico | contra | vice-versa

RAPIDINHA

A propaganda intensifica-se. As taxas de juro só baixam - e praticamente nada - porque estamos em cima das eleições europeias. Apenas isso.

Zelensky já não consegue disfarçar a sua essência

ucrânia_proíbe_emigrantes.jpg

ucrânia_síria_sudão.jpg

Há poucos meses, Zelensky dizia que “nos últimos dois anos, a Ucrânia tinha perdido apenas cerca de 30 mil militares”. E também andou a dizer que o exército ucraniano liquidou centenas de milhares de militares russos.

Há muito que sabemos (aqueles que querem saber) que a média da idade dos militares ucranianos em combate é cerca de 50 anos. Sabemos também que Zelensky anda, há muitos meses, a ordenar que os seus amigos do batalhão de Azov agarrem à força toda, todos os homens com idade para combater, seja nas ruas, nos transportes públicos e até nas habitações. Por esta razão, muitos fugiram do país.

Agora, Zelensky proíbe a saída de emigrantes em idade de combater e, como também todos deveriam saber, Zelensky contactou todos os governos dos países que receberam refugiados ucranianos, no sentido de estes identificarem os homens com idade para combater e os devolver à Ucrânia.

Por outro lado, o governo de Zelensky gaba-se de enviar forças especiais para combater os russos na Síria e no Sudão. Não tem militares para combater na Ucrânia, mas tem-nos de sobra para enviar para a Síria e Sudão.

Ora, bem se vê qual o único objectivo de Zelensky: combater os russos, a soldo de Washington, seja onde for. Está tão interessado em recuperar os territórios ucranianos ocupados que, perante uma colossal falta de militares nas suas fileiras, não tem qualquer pejo em enviar forças para outros países. Como se ele e a Ucrânia tivessem alguma coisa a ver com o assunto. Portanto, não tem qualquer competência para combater o exército russo na Ucrânia, mas pretende fazê-lo com muito sucesso na Síria e no Sudão. Patético.

Não deve faltar muito tempo para vermos Zelensky a anunciar o envio de “tropas especiais” ucranianas para o Médio Oriente, para ajudar na campanha genocida do seu amigo Netanyahu.

O fantoche-caqui está completamente desesperado e disposto a tudo para se manter no topo da agenda mediática. Disposto a tudo, menos a negociar a paz. Enquanto isso, a Ucrânia fica cada vez mais pequena e despida de gente. Está a correr bem para Zelensky, mas péssimo para os ucranianos e para todos os povos, cujos governantes continuam a apoiar um governo corrupto, pejado de nazis.

2 comentários

Comentar post